Publicidade

07 de Janeiro de 2014 - 19:22

Por Ricardo Della Coletta - Agencia Estado

Compartilhar
 

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, antecipou as férias, inicialmente previstas para começar na sexta-feira, 10, e só deve voltar ao trabalho em fevereiro, quando termina o recesso do Judiciário. Com isso, fica indefinida a situação da prisão do deputado João Paulo Cunha (PT-SP), condenado no processo do mensalão. O plantonista no STF passa a ser a ministra Cármen Lúcia.

Barbosa negou recursos de Cunha nesta segunda-feira, 6, autorizando a detenção, mas, até o momento, não houve a expedição do mandado. A assessoria do Supremo Tribunal não sabe dizer qual a situação do mandado. Já a defesa de João Paulo diz que ele, ex-presidente da Câmara, aguarda o mandado de prisão para se entregar à Polícia Federal (PF), em Brasília.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?