Publicidade

17 de Dezembro de 2013 - 19:34

Por Felipe Rosa Mendes - Agencia Estado

Compartilhar
 

O Bayern de Munique cumpriu seu papel na estreia no Mundial de Clubes da Fifa, nesta terça-feira. Grande favorito ao título, o time alemão derrotou com facilidade o Guangzhou Evergrande, do trio Conca, Elkeson e Muriqui, pelo placar de 3 a 0, e garantiu seu lugar na final do torneio disputado no Marrocos.

Agora, o time comandado pelo técnico Joseph Guardiola espera pelo Atlético Mineiro, favorito para ficar com a outra vaga na decisão. Os brasileiros vão estrear no Mundial nesta quarta, às 17h30 (horário de Brasília), contra o Raja Casablanca, equipe que representa o país anfitrião.

Apesar do favoritismo, o Bayern teve mais dificuldade do que esperava para superar a retranca do Guangzhou. Mesmo com seu grande poder de fogo no ataque, só conseguiu abrir o placar aos 39 minutos do primeiro tempo. Com pressão intensa, desperdiçou diversas oportunidades, colecionou bolas na trave e poderia ter terminado a partida com ampla goleada.

O placar de 3 a 0 não representou o 71% de posse de bola e as 27 finalizações do Bayern (contra apenas duas dos chineses). Franck Ribéry e Mario Götze foram os destaques da equipe europeia, enquanto Conca teve dificuldade para se sobressair na equipe do Guangzhou, que é treinada pelo italiano Marcelo Lippi, campeão mundial pela Itália em 2006.

O JOGO - O Bayern de Munique não escondeu que era o favorito nesta terça-feira. O time alemão partiu para o ataque desde o apito inicial. E confirmou o esperado duelo de "ataque contra defesa". O Bayern ocupava todo o campo de ataque e praticamente não foi ameaçado no primeiro tempo.

Mas não deixou de sofrer com a retranca chinesa. O Guangzhou se defendia até com oito jogadores na linha da área, o que não impedia o Bayern de entrar na área. Aos 15, Thiago Alcântara dominou a bola no peito na marca do pênalti e bateu rasteiro, no pé da trave direita.

Quando a área inchava de tantos jogadores, os alemães tentavam de longe. Assim, Toni Kroos acertou o travessão, aos 24. A bola, contudo, não entrava. E o Guangzhou se esforçava para surpreender no contra-ataque. Aos 13, Muriqui recebeu passe de Conca, mas deixou a bola escapar e desperdiçou uma rara oportunidade dos chineses.

Sem levar maiores sustos na defesa, o Bayern seguia martelando no ataque. Até abrir o placar aos 39 minutos. Ribéry bateu de canela, pelo lado esquerdo da área, e viu a bola passar embaixo do goleiro Zeng Cheng. Quatro minutos depois, Thiago Alcântara cruzou da direita e Mandzukic escorou de cabeça: 2 a 0.

Com esperada superioridade, o Bayern terminou o primeiro tempo com 70% de posse de bola e domínio total. Mas isso não era suficiente para os europeus. Cada vez mais à vontade em campo, o time aumentou a vantagem logo no primeiro minuto do segundo tempo. Göetze bateu de fora da área e marcou belo gol. Foi a 14ª finalização do Bayern na partida, contra apenas um do Guangzhou.

O belo gol não deixou Götze satisfeito. O meia-atacante quase anotou o segundo aos 14, em forte chute. Zeng Cheng fez grande defesa. Aos 20, foi a vez de Ribéry ameaçar o gol chinês. A bola explodiu no travessão. No minuto seguinte, Götze voltou à carga e mandou outra finalização perigosa.

GUANGZHOU EVERGRANDE 0 x 3 BAYERN DE MUNIQUE

GUANGZHOU EVERGRANDE - Zeng Cheng; Younggwon Kim, Xiaoting Feng, Zhang Linpeng, Sun Xiang; Zheng Zhi, Bowen Huang (Hao Rong), Conca, Zhao Xuri (Junyan Feng); Muriqui e Elkeson. Técnico: Marcello Lippi.

BAYERN DE MUNIQUE - Neuer; Rafinha, Jérôme Boateng, Van Buyten, David Alaba; Lahm, Thiago Alcântara, Toni Kroos (Javi Martínez), Ribéry (Shaqiri), Götze; Mandzukic (Claudio Pizarro). Técnico: Joseph Guardiola.

GOLS - Ribéry, aos 39, e Mandzukic, aos 43 minutos do primeiro tempo. Göetze, a 1 minuto do segundo tempo.

CARTÃO AMARELO - Zhao Xuri.

ÁRBITRO - Bakary Gassama (Gâmbia).

RENDA - Não disponível.

PÚBLICO - 27.311 pagantes.

LOCAL - Agadir Stadium, em Agadir (Marrocos).

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?