Publicidade

20 de Janeiro de 2014 - 17:10

Por Aline Bronzati - Agencia Estado

Compartilhar
 

O Banco do Brasil reabriu nesta segunda-feira, 20, uma linha de crédito voltada para micro e pequenas empresas pagarem impostos tradicionais de início do ano. O foco do produto são grupos com faturamento de até R$ 3,6 milhões por ano. No ano passado, 32 mil empresas recorreram a esta modalidade de financiamento que somou em torno de R$ 1 bilhão de recursos liberados.

O crédito pode ser parcelado em até 24 meses, sendo que o prazo de carência para o pagamento da primeira prestação é de até três meses. A taxa mínima cobrada pelo BB é de TR (Taxa Referencial) mais 1,43% ao mês. Essa linha de crédito faz parte da parceria firmada entre o Banco do Brasil e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

O crédito foi desenvolvido, conforme nota do BB, para atender à demanda dos empresários, principalmente ligados ao comércio, que precisam de recursos para quitar os tributos mais altos incidentes no início do ano devido o aquecimento das vendas do Natal, férias e volta às aulas. "Essa linha de crédito supre uma lacuna no fluxo financeiro das empresas e demonstra o compromisso do BB em viabilizar soluções adequadas às necessidades do segmento", avalia o vice-presidente de Agronegócios e Micro e Pequenas Empresas do BB, Osmar Dias.

Segundo o banco, o empréstimo pode ser contratado com garantias reais ou pessoais. Para a empresa que não possui garantias suficientes, o BB disponibiliza o Fundo de Garantia de Operações (FGO), que garante até 80% do valor da operação e possibilita ao cliente acessar taxas mais atrativas.

A linha do BB pode ser contratada até 31 de março ou até o término dos recursos. Somente correntistas do banco têm acesso à modalidade, cujo cadastro e limite de crédito são analisados.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você está evitando contrair dívidas maiores em função da situação econômica do país?