Publicidade

11 de Março de 2014 - 06:14

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

O presidente do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês), Haruhiko Kuroda, repetiu nesta sexta-feira que ainda é prematuro discutir uma estratégia de saída do agressivo programa de estímulos lançado em abril do ano passado. O fim do programa dependerá das condições econômicas e financeiras, afirmou.

Em discurso a legisladores no comitê de Assuntos Financeiros da Câmara Baixa, disse que quando o Japão atingir uma estabilidade de 2% na inflação, o BoJ irá procurar uma estratégia de saída.

Kuroda, no entanto, não detalhou quais ferramentas o BoJ têm à disposição. O presidente do banco central ainda afirmou que não há tempo a perder para consertar as contas públicas e que espera "fortemente" que o governo dê continuidade à consolidação fiscal para evitar altas inesperadas nas taxas de juros de longo prazo. "Se a confiança na saúde fiscal for perdida, o prêmio de risco nos bônus do governo do Japão irão subir", afirmou. Isso traria consequências negativas para a economia japonesa e para a meta de inflação, alertou. Fonte: Market News International.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a retirada das pinturas de Lucio Rodrigues dos pontos de ônibus?