Publicidade

09 de Dezembro de 2013 - 14:37

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) que os desembolsos de janeiro a outubro chegaram a R$ 146,8 bilhões, número que representa alta de 35% na comparação com mesmo período do ano passado. Todos os setores apoiados pelo banco registraram desempenho positivo, com destaque para infraestrutura (+31%), que teve liberados R$ 47,3 bilhões, e comércio e serviços, com alta de 52% e empréstimos equivalentes a R$ 40 bilhões. O setor industrial também registrou crescimento, mas de 19%, com desembolsos de R$ 44,7 bilhões. Os números foram divulgados nesta segunda-feira, 9, por meio de nota do banco.

Nos últimos 12 meses encerrados em outubro, os desembolsos do banco atingiram R$ 194,4 bilhões (alta de 35%); as aprovações de projetos corresponderam a R$ 271,5 bilhões (expansão de 43%); os enquadramentos (quando os projetos recebem o aval técnico), por R$ 272,3 bilhões (alta de 3%); e as consultas (primeira fase do processo, com o pedido de financiamento), por R$ 285,7 bilhões (+ 1,3%).

As consultas ao BNDES, em particular, ditam a tendência dos investimentos, o ímpeto dos empresários em desenvolver projetos. De janeiro a outubro, as aprovações somaram R$ 167,7 bilhões, crescimento de 7%, enquanto as consultas, no total de R$ 222,5 bilhões, caíram 11% no período.

O banco atribuiu o recuo à alta base de comparação. "No segundo semestre do ano passado, houve forte concentração de projetos no BNDES, sobretudo com o Programa de Apoio ao Investimento dos Estados e Distrito Federal (Proinveste), de R$ 20 bilhões. Também haviam dado entrada no banco grandes investimentos ligados aos setores de petróleo e gás, energia elétrica e aeroportos, entre outros", diz o comunicado.

O valor das aprovações em 12 meses (R$ 271,5 bilhões) ficou equilibrado entre infraestrutura, com R$ 92,6 bilhões (35% do valor global), e indústria, com R$ 85,3 bilhões (31% do total). O setor de comércio e serviços recebeu R$ 73,7 bilhões (27% de participação) e agropecuária, R$ 19,8 bilhões (7%).

A produção de bens de capital lidera o desempenho da indústria. O comportamento se refletiu nos resultados da linha BNDES Finame, que registrou financiamentos recordes à aquisição de máquinas e equipamentos, com liberações totais de R$ 57,7 bilhões nos primeiros dez meses deste ano. Os desembolsos para o segmento "equipamentos de transporte" (que inclui ônibus, caminhões e aeronaves) somaram R$ 29,2 bilhões no período, com alta de 57%; e para o setor "equipamentos não-transporte" (máquinas-ferramentas, calderaria etc), as liberações da Finame acumularam R$ 17 bilhões, com expansão de 86,2%.

O desempenho foi impactado positivamente pelo Programa BNDES de Sustentação do Investimento (BNDES-PSI). Com desembolsos de R$ 68,2 bilhões até outubro deste ano, o BNDES PSI contribuiu para impulsionar os investimentos do setor empresarial, inclusive das micro, pequenas e médias empresas, que ficaram com 56% do total liberado.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a multa para o consumidor que desperdiçar água, conforme anunciou o Governo de São Paulo?