Publicidade

09 de Dezembro de 2013 - 13:34

Por Gabriela Lara - Agencia Estado

Compartilhar
 

Os novos registros de inadimplência do consumidor aumentaram 2,3% no mês de novembro ante outubro, descontados os efeitos sazonais, de acordo com dados nacionais da Boa Vista Serviços, administradora do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC). O levantamento também mostrou que houve retração de 0,1% no acumulado de janeiro a novembro, em relação ao mesmo intervalo do ano passado. Já na comparação dos últimos 12 meses com igual período anterior, o indicador apresentou avanço de 0,1%.

A análise da Boa Vista aponta que, ao longo do primeiro semestre do ano, os registros de inadimplentes mantiveram a tendência de queda iniciada no final de 2012. Entretanto, os resultados ao longo do segundo semestre indicam para uma desaceleração dessa tendência. "Isso pode ser justificado pelo arrefecimento dos impactos das melhores condições de crédito na economia brasileira e do mercado de trabalho", disse a administradora, em nota. "Desta forma, a Boa Vista espera 2013 termine apresentando resultados semelhantes aos de 2012 quanto ao comportamento da inadimplência."

O valor médio das dívidas em novembro, de R$ 1.239, foi 4,47% menor do que o observado em outubro. A Boa Vista revelou ainda que a expansão da inadimplência em novembro ante outubro foi puxada pelo resultado nas regiões Sul (+3,6%) e Sudeste (+3,4%). Na direção oposta destacaram-se as quedas nas regiões Norte (-2,0%) e Nordeste (-1,0%), na mesma base de comparação.

Quando considerado apenas o setor de varejo, o indicador nacional, em novembro, apresentou recuo de 1,4% contra outubro, retirados os efeitos sazonais. No acumulado em 12 meses o resultado expandiu 0,2% em relação aos 12 meses anteriores, com destaque para as regiões Sudeste (0,9%), Sul (0,6%) e Norte (0,6%).

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da proibição de rodeios em JF, conforme prevê projeto em tramitação na Câmara?