Publicidade

09 de Janeiro de 2014 - 04:30

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

Membro do conselho de política monetária do Banco do Japão (BoJ, na siga em inglês), Sayuri Shirai, disse que o banco central deve agir rapidamente para reforçar a sua flexibilização monetária se a economia ou os preços do país divergirem das previsões.

"Eu acredito que nós devemos tomar medidas de flexibilização adicionais sem hesitação para evitar que a credibilidade do BoJ seja comprometida se ficar claro que as condições econômicas e de preços divergirão drasticamente do cenário que previmos", afirmou Shirai, de acordo com texto de discurso divulgado pelo BoJ.

Além disso, Shirai afirmou que o BoJ tem a opção de adiar o prazo para atingir a meta de inflação de 2%, caso isso se tornasse um ônus "excessivamente pesado" para as empresas e os consumidores.

"Pode haver casos em que nós julgaríamos apropriado estabelecer um ritmo mais lento para atingir a meta de inflação de 2% do que o prazo de 2 anos estabelecido atualmente", disse a integrante do c conselho do BoJ, que discursou em Cingapura sobre os desafios enfrentados pelos bancos centrais em um ambiente econômico global em mudança.

Shirai sinalizou que ela tinha dúvidas sobre a probabilidade de o BOJ atingir a sua meta de inflação em dois anos e afirmou que "pode haver uma elevada incerteza quanto ao prazo para o BoJ atingir a meta."

Ela também disse que o BoJ precisa alcançar a meta de inflação de forma estável combinada com um crescimento econômico sustentável "em vez de simplesmente atingir 2% em um ano específico e não cumprir a meta nos anos seguintes." Fonte: Dow Jones Newswires.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?