Publicidade

11 de Março de 2014 - 06:28

Por Paulo Favero - Agencia Estado

Compartilhar
 

O dia 4 de março marca o início da contagem regressiva de 100 dias para o início da Copa. A fim de esquentar o torneio, o Comitê Organizador Local (COL) pretende realizar uma série de atividades em várias partes do mundo para marcar a data. Nesse dia, por exemplo, será realizado na Suíça o famoso "Jogo contra a Pobreza", com a participação de Ronaldo e Zidane no mesmo time. Lá, o Fuleco, mascote oficial do Mundial, dará as boas vindas.

Enquanto isso, a seleção brasileira estará na África do Sul para enfrentar os anfitriões no Soccer City, em Johannesburgo, no dia seguinte. Mas o Fuleco também vai aparecer por lá, para um encontro inédito com Zakumi, mascote da Copa de 2010. O evento vai ocorrer durante um treinamento do time comandado por Luiz Felipe Scolari.

Por ser um período de data Fifa, uma série de amistosos preparatórios serão realizados, entre eles o encontro entre dois campeões mundiais em Madri: Espanha x Itália. Após uma tratativa com a embaixada e o governo local, o COL conseguiu um espaço para apresentar o mascote e levar um ex-jogador para promover a Copa no Brasil. Ainda no dia 5, o mesmo será feito antes do duelo entre França e Holanda, em Paris.

Nas cidades brasileiras, apesar de a data cair em plena terça-feira de carnaval, algum barulho será feito. O Ministério do Esporte está promovendo ações, que pretendem marcar a data com algo especial. As cidades estão se mobilizando e muitas delas vão fazer iluminações especiais em verde e amarelo em monumentos públicos.

Além disso, os organizadores do Mundial vão promover ações nas redes sociais. A hashtag #100diaspracopa será o carro-chefe para divulgar o evento. Durante o Congresso Técnico da Fifa, em Florianópolis, muitos treinadores aceitaram participar da ação e tiraram fotos específicas para ajudar a divulgar a competição.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você confia nas pesquisas eleitorais?