Publicidade

10 de Dezembro de 2013 - 16:49

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

A seleção brasileira feminina de handebol sofreu para conseguir a sua terceira vitória consecutiva no Mundial da categoria. Em Nis, na Sérvia, o time da melhor jogadora do mundo, a ponta Alexandra, encarou as donas da casa nesta terça-feira, chegou a ficar atrás no placar, mas venceu por 25 a 23, graças principalmente à grande atuação da goleira Mayssa, eleita melhor em quadra.

O resultado classifica o Brasil à segunda fase da competição. A seleção treinada pelo dinamarquês Morten Soubak tem seis pontos no Grupo B, contra quatro das suas mais fortes concorrentes: a Sérvia (que também fez seu terceiro jogo) e a Dinamarca (que mais tarde pega a saco de pancadas Argélia pela terceira rodada).

O jogo desta terça-feira era considerado de fundamental importância para o time brasileiro por ser contra as donas da casa, que contaram com o apoio de um ginásio lotado. Como o Brasil é favorito contra o Japão, nesta quarta, a tendência é a equipe brigar com a Dinamarca pelo primeiro lugar do grupo e, teoricamente, pegar uma chave mais tranquila nos mata-matas. Esta partida contra as dinamarquesas será na sexta-feira.

Depois de atropelar a Argélia e vencer a China também com facilidade, o Brasil encontrou um jogo duro diante da Sérvia. Chegou a abrir 5 a 3 no placar no primeiro tempo, mas levou a virada em 7 a 5. Foi o único momento em que as donas da casa estiveram à frente das brasileiras.

Mayssa entrou em quadra aos 16 minutos do primeiro tempo e passou a fazer a diferença, ajudando a recolocar o Brasil na frente. A equipe foi para o intervalo com 14 a 11 no placar.

Na volta para o segundo tempo as sérvias encaixaram a marcação em Fernanda e Alexandra, as duas pontas do time brasileiro, e não deixaram o Brasil abrir. A 10 minutos do fim, Duda recebeu sua terceira suspensão (dois minutos fora de quadra) o que significava sua exclusão do jogo. Nos dois minutos regulamentares até que fosse substituída, o Brasil levou o empate em 21 a 21.

Aí brilharam os talentos de Ana Paula, que marcou dois gols, mesmo recebendo marcação individual, e de Alexandra, que chamou a responsabilidade, buscou a bola no meio da quadra, arremessou da linha de 9 metros, e fez o gol que colocou o Brasil dois gols à frente do placar.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?