Publicidade

09 de Janeiro de 2014 - 18:31

Por Daniela Amorim - Agencia Estado

Compartilhar
 

A safra brasileira de grãos fechou 2013 com produção recorde de 188,2 milhões de toneladas colhidas, 1,4 milhão de toneladas acima da expectativa de novembro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no último Levantamento Sistemático da Produção Agrícola do ano. O resultado foi 16,2% superior ao de 2012. Mas a produção prevista para 2014 é ainda maior, de 189,5 milhões de toneladas, um aumento de 0,7% em relação ao ano passado.

Em 2013, 16 dos 26 principais produtos investigados apresentaram aumento de produção. Soja, milho e arroz responderam por 92,4% de toda a safra. No fim do ano, surpreenderam os crescimentos na lavoura de aveia, trigo, cevada, cana-de-açúcar e café arábica. Já em 2014, a expectativa é de que seis entre os dez produtos de maior importância na safra nacional de verão registrem aumento: algodão herbáceo, arroz, feijão 1ª safra, fumo, mandioca e soja. A soja será a vedete no ano, roubando área plantada do milho e do arroz. O café arábica, entretanto, deve ser o destaque negativo, interrompendo o ciclo anual de alternância de altas e baixas. A redução nos preços do produto está fazendo os produtores diminuírem a área plantada.

"Os preços não estão muito atrativos. As informações estão indicando uma redução de área para o café arábica. O ano de 2014 seria de safra cheia. Nos anos pares, o café costuma ter safra maior, mas estamos informando uma produção menor por causa dessa redução na área do café arábica", explicou Mauro Andreazzi, gerente da Coordenação de Agropecuária do IBGE, que divulgou também o terceiro Prognóstico para a Safra de 2014.

A espécie arábica, que responde por cerca de 75,5% da safra nacional de café, deve ter uma queda de 1,9% na produção desse ano em relação a 2013. A expectativa é de uma colheita de 2,227 milhões de toneladas. Em 2013, que foi ano de baixa na produção, a safra totalizou 2,270 milhões de toneladas. Segundo o IBGE, a alternância de altas e baixas nas safras, chamada de bienalidade do café, foi observada sem interrupções de 1992 até 2013: os anos pares foram de safra cheia, e os ímpares de safra curta. Se a previsão para 2014 for confirmada, a queda na produção será causada por um recuo de 4,4% na área total ocupada com café arábica. Em compensação, a safra do café canephora deve registrar um aumento de 11,6%, totalizando 722,863 mil toneladas. Somando as duas espécies, a safra nacional de café em 2014 será de 2,95 milhões de toneladas, 1,1% maior que a de 2013.

Quanto à soja, os preços favoráveis no mercado internacional estão fazendo os produtores substituírem outras lavouras pelo grão. A estimativa de produção é de 90,261 milhões de toneladas, um aumento de 10,5% em relação a 2013, graças à ampliação da área ocupada pela cultura e ao crescimento do rendimento médio.

"O destaque de 2014 é para a soja, que vem ocupando área de milho e até área de arroz e de pastagens degradadas. Então a soja é a grande vedete, é a cultura que está ampliando a área, que deve ter novo recorde de produção: mais de 90 milhões de toneladas", lembrou Andreazzi.

O crescimento exuberante da soja prejudicará o desempenho do milho 1ª safra. O avanço do primeiro deve reduzir em 6,3% a área plantada com o segundo, fazendo a produção do milho 1ª safra diminuir 4,2% em 2014.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que alertas em cardápios e panfletos de festas sobre os riscos de dirigir sob efeito de álcool contribuem para reduzir o consumo de bebidas por motoristas?