Publicidade

11 de Março de 2014 - 02:45

Por Roberta Pennafort - Agencia Estado

Compartilhar
 

Ao lamentar a morte do cinegrafista Santiago Andrade, o arcebispo do Rio, dom Orani Tempesta, se disse nesta quarta-feira, 12, preocupado tanto com a violência nas manifestações de rua quanto com o cerceamento da liberdade de imprensa. "É muito lamentável o que está acontecendo no País. De um lado, é importante cada um ter liberdade de se manifestar. De outro lado é importante também que haja liberdade de imprensa. Cabe às autoridades tanto punir os responsáveis quanto como coibir a violência, que não faz parte da democracia", afirmou Dom Orani, lembrando que Andrade estava trabalhando "para o bem da sociedade" quando foi assassinado, há uma semana.

Ele também comentou as dívidas deixadas pela Jornada Mundial da Juventude, realizada em julho de 2013, que estariam em torno de R$ 30 milhões (não confirmou o valor) ainda que o papa tenha doado R$ 11,7 milhões em janeiro para ajudar a Arquidiocese.

Os problemas financeiros foram criados pelas transferências de eventos e pelo déficit de arrecadação com as inscrições: a Igreja esperava 500 mil (número próximo ao registrado na JMJ anterior, em Madri) e foram cerca de 300 mil inscritos. Dom Orani disse que "faria de novo": "Para fazer o bem, nunca é mau negócio. Sempre vale a pena fazer".

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que campanha corpo-a-corpo ainda dá voto?