Publicidade

21 de Janeiro de 2014 - 14:24

Por Ricardo Della Coletta - Agencia Estado

Compartilhar
 

O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), decidiu cancelar a reunião da Mesa Diretora da Casa que discutiria o caso do deputado João Paulo Cunha (PT-SP), condenado no processo do mensalão e que aguarda a expedição do mandado de prisão pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O motivo é que o Legislativo ainda não foi comunicado oficialmente de que existe condenação transitada em julgado contra João Paulo.

No início deste mês, depois que o presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa, negou recursos do petista na ação, Henrique Alves decidiu convocar para o dia 4 de fevereiro uma reunião da Mesa para discutir a situação do parlamentar. Nesse encontro, os membros da Mesa poderiam já deliberar sobre uma eventual abertura de processo disciplinar contra João Paulo, caso não haja renúncia.

A formalização da convocação, no entanto, dependia da expedição de um comunicado, pelo Supremo, de que há condenação transitada em julgado contra o ex-presidente da Casa. Como Joaquim Barbosa saiu de férias sem assinar o documento e o próprio mandado de prisão, Alves cancelou a reunião e disse que a vai analisar o caso - podendo convocar uma nova reunião da Mesa - após a comunicação oficial do Supremo, que só deve acontecer depois a volta de Barbosa das férias e o fim do recesso do Judiciário, em fevereiro. (

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que alertas em cardápios e panfletos de festas sobre os riscos de dirigir sob efeito de álcool contribuem para reduzir o consumo de bebidas por motoristas?