Publicidade

15 de Janeiro de 2014 - 18:48

Por Ciro Campos - Agencia Estado

Compartilhar
 

A seleção dos Estados Unidos tem uma espécie de guia turístico para aproveitar melhor o período de dez dias de treinos no CT da Barra Funda, em São Paulo. O encarregado da função é o meia carioca Benny Feilhaber, de 28 anos, que além de dar dicas aos colegas sobre os costumes brasileiros, garantiu que o grupo junto com Alemanha, Portugal e Gana é o mais equilibrado da Copa.

Segundo o jogador todas as quatro equipes do Grupo G têm potenciais parecidos e que dificilmente alguém vai conseguir ganhar os três jogos. "Se jogarmos bem as três partidas iniciais e tivermos sorte, temos boas chances de irmos para a segunda fase. Nela tudo pode acontecer", comentou. Neto de imigrantes austríacos, Feilhaber mudou com os pais para os Estados Unidos aos 6 anos.

Ainda assim, costuma ir para Rio nas férias e mantém a admiração pelo Botafogo, seu time de infãncia. "Os jogadores da seleção americana me perguntaram bastante sobre as comidas brasileiras, sobre o que deveriam ou não provar. No café da manhã do hotel todos quiseram experimentar o requeijão", contou o jogador do Kansas City nesta quarta-feira.

Em 2010 o meia esteve com a seleção no Mundial da África do Sul e no ano anterior ele ainda teve a chance de enfrentar o Brasil por duas vezes pela Copa das Confederações, incluindo a decisão. "Jogar contra o país onde nasci não é algo que acontece todo hora. Se eu for convocado para o Mundial deste ano, seria ainda mais especial. Mesmo faltando cinco meses, já sinto um clima especial da Copa", disse.

Nesta quarta-feira o técnico Jurgen Klinsmann comandou um treino fechado no CT da Barra Funda. A atividade foi liberada somente durante 30 minutos. Na quinta-feira, a equipe faz um jogo-treino contra o time do São Paulo.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que campanha corpo-a-corpo ainda dá voto?