Publicidade

11 de Março de 2014 - 23:20

Por Alice Ferreira - Agencia Estado

Compartilhar
 

A causa homoafetiva chegou à tradição dos bonecos gigantes de Olinda. O Menino Rosado foi o exemplar criado pelo artista Silvio Botelho para desfilar na folia deste ano levantando a bandeira da diversidade. O boneco de mais de 3 metros de altura saiu às ruas nesta terça-feira, 4, durante o Encontro de Bonecos Gigantes. Cerca de 100 bonecos participaram do desfile, que teve início às 12h.

Os bonecos começaram a se concentrar no início da manhã, em frente à Igreja do Guadalupe. O homenageado do encontro é o Menino da Noite, que completa 40 em 2014. Além dele, Hugo Chávez também foi inaugurado no carnaval olindense. "Convidamos ele direto da Venezuela. Já o menino rosado representa uma causa que não pode ficar de fora da festa", comentou Botelho, responsável pela criação de todas as peças.

Sílvio Botelho comemora 27 encontros de bonecos gigantes em Olinda. Ele é o mais representativo escultor do gênero na cidade e responsável por difundir a arte para fora do estado.

Dez bonecos de cada lado, disputaram no fim da tarde desta terça-feira, 4, o último dos jogos, a grande atração do polo localizado na Praça do Carmo. O resultado foi três a um para o Brasil e centenas de criança sorridentes. "É muito divertido. Os bonecos ficam caindo", comentou a estudante Bruna Teixeira, 14.

O estudante Gabriel Braga, 15, morador de Olinda, foi o responsável pelo único gol da Espanha na última partida do carnaval 2014. "É muito fácil jogar, mesmo com o boneco. É pesado, mas dá para aguentar", garantiu.

A terça-feira gorda não é dia de dormir até mais tarde em Olinda, Pernambuco. Apesar do carnaval estar acabando e do clima de despedida que toma conta dos turistas que alugam casas no Sítio Histórico, o bloco "A Corda" tem a missão de entrar nas residências com os primeiros raios de sol e levantar todos os foliões. A brincadeira começou há exatos 20 anos e é encarada com bom humor. A partir das 7h, o grupo começou a descer a Ladeira da Misericórdia. Eles já tem entrada cativa em algumas residências. De acordo com o fundador, Sidney Oliveira, são cerca de cinco casas.

Para entrar nas outras, eles apelam para bater panelas e outros objetos próximos a janelas e portas. Se o proprietário autorizar, o "despertador" ambulante entra. Do lado de fora, uma orquestra espera quem decide acompanhar a festa. E muitos dos despertados vão de pijama e até carregando o travesseiro e o lençol. Neste ano, o acorda pintou o rosto dos foliões de verde e amarelo e mudou o percurso para acordar também quem chegou mais tarde às ladeiras.

Frevo até o raiar da quarta-feira de cinzas. O carnaval do Recife encerra com show de artistas consagrados na folia, como Alceu Valença e Elba Ramalho ainda na noite da terça-feira. Quando a madrugada chegar, as ruas do Recife antigo serão tomadas por uma orquestra de frevo formada e passistas que irão percorrer as principais ruas do bairro arrastando a multidão. O já tradicional arrastão do frevo começa no palco do Marco Zero e segue pela Avenida Marquês de Olinda. Na Praça do Arsenal da Marinha, outro tradicional polo do centro histórico da capital pernambucana, sobem ao palco na noite de terça-feira Antúlio Madureira e Silvério Pessoa, responsável por encerrar a folia.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que campanha corpo-a-corpo ainda dá voto?