Publicidade

13 de Janeiro de 2014 - 11:01

Por - Agencia Estado

Compartilhar
 

Autoridades israelenses e dignitários internacionais despediram-se de Ariel Sharon em cerimônia de Estado nesta segunda-feira, lembrando do controverso ex-primeiro-ministro como um guerreiro destemido e líder corajoso que devotou sua vida à proteção da segurança de seu país.

O vice-presidente norte-americano Joe Biden e o ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair lideraram a longa lista de políticos que participaram da cerimônia, realizada do lado de fora ao Parlamento. Ainda nesta segunda-feira, o corpo de Sharon será enterrado numa fazenda no sul de Israel.

"Arik (apelido de Sharon) foi um homem da terra", disse o presidente Shimon Peres, antigo amigo e algumas vezes rival de Sharon. "Ele defendeu esta terra como um leão e ensinou seus filhos a segurar a foice. Ele foi uma lenda militar em seu tempo e voltou seu olhar para o dia em que Israel viverá em segurança, quando nossas crianças poderão voltar para nossas fronteiras e a paz irá adornar a Terra Prometida."

Sharon morreu no sábado, oito anos após um forte acidente vascular cerebral (AVC) tê-lo deixado em coma, do qual ele nunca se recuperou. Ele tinha 85 anos.

"Nem sempre eu concordei com Arik e ele nem sempre concordou comigo", disse o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, que deixou o governo de Sharon em protesto contra a retirada de Gaza. Apesar disso, ele chamou Sharon de "um dos maiores guerreiros" da nação de Israel. "Ele era pragmático. Seu pragmatismo estava enraizado numa emoção profunda, numa emoção profunda pelo Estado, pelo povo judeu", declarou Netanyahu.

Biden falou sobre a amizade de décadas com Sharon e disse que sua perda foi como "uma morte em família". Quando os dois discutiam a segurança de Israel, Biden disse que entendia como Sharon conquistou seu apelido, "O Trator".

"Ele era indomado", disse Biden. "Mas como todos os líderes históricos, todos os verdadeiros líderes, ele tinha uma estrela a guiá-lo. Uma estrela da qual ele nunca, pelo que observei, se desviou. Suas estrela era a sobrevivência do Estado de Israel e do povo judeu, onde quer que ele resida", afirmou Biden.

Na presença dos dois filhos de Sharon, Omri e Gilad, a cerimônia desta segunda-feira ocorreu sob um sol ameno de inverno. Além de Biden e Blair, o primeiro-ministro da República Checa e ministros de Relações Exteriores da Austrália e da Alemanha estavam entre os participantes. Até mesmo o Egito, o primeiro país árabe a assinar um acordo de paz com Israel, enviou um diplomata de baixo escalão para a cerimônia, informou a embaixada egípcia.

Após a cerimônia, o caixão foi fechado, envolvo na bandeira de Israel, e colocado num veículo, que o levou para a propriedade rural de Sharon. O comboio faria uma parada em Latrun, local onde Sharon ficou ferido durante uma sangrenta batalha pela independência de Israel em 1948, para uma breve cerimônia antes de continuar para o sul. Fnte: Associated Press.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?