Publicidade

19 de Dezembro de 2013 - 13:01

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

Dono e chefe da Force India, Vijay Mallya está confiante de que a equipe poderá realizar uma temporada de grande sucesso na Fórmula 1 de 2014, quando a categoria passará a contar com um novo regulamento técnico, que prevê, entre outras mudanças, a substituição dos motores V8 usados até 2013 pelos V6 turbo. O time com base em Silverstone, por sua vez, ainda contará com uma nova dupla de pilotos, formada pelo mexicano Sergio Pérez e o alemão Nico Hulkenberg.

O dirigente indiano acredita que a Force India já vinha realizando uma temporada acima da expectativa dos críticos até certo ponto do campeonato deste ano, no qual chegou a ficar à frente da McLaren no Mundial de Construtores, antes de ser ultrapassada pela equipe inglesa e fechar essa disputa na sexta posição no geral.

Ao ser questionado sobre as aspirações da Force India para 2014, Mallya destacou que a performance da equipe nesta temporada "fala por si só", sendo que ele vê o time em um processo inevitável de evolução, embora esteja prestes a iniciar uma nova fase após a saída da dupla de pilotos formada por Adrian Sutil e Paul di Resta.

"Eu acho que o fato de nós termos contratado dois dos melhores jovens pilotos da Fórmula 1 é um reflexo da nossa própria atitude. Todos engenheiros e todos os outros na Force India se sentem da mesma forma que os nossos pilotos: estamos com fome (por triunfos), vamos tentar comprovar isso", disse Mallya, que em seguida também afirmou que está apostando no carro que a escuderia colocará na pista no próximo ano.

"Estamos jogando tudo que for possível no design do carro de 2014 e fomos uma das primeiras equipes a contratar um pacote completo de motores (com a Mercedes), então todas essas coisas estão ajudando e espero que trabalhem a nosso favor", completou.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da proibição de rodeios em JF, conforme prevê projeto em tramitação na Câmara?