Publicidade

19 de Dezembro de 2013 - 22:55

Por Larissa Fafá, especial para a AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

Mais de 18 mil pessoas estão fora de suas casas e pelo menos três mortes foram registradas devido a chuvas que atingem o Espírito Santo desde o início da semana. De acordo com o último boletim da Defesa Civil Estadual desta quinta-feira, 19, são ao todo 2.197 pessoas desabrigadas, ou seja, que não têm para onde ir, e 16.218 que deixaram suas casas e estão em moradias de parentes.

Mais de três mil imóveis foram danificados pela inundação e deslizamento de terras em todo o Estado. Durante as chuvas de quarta-feira, 18, a Defesa Civil declarou três vítimas. Na zona rural de Baixo Guandu, um motociclista foi arrastado pela força das águas, assim como em Nova Venécia um rapaz foi levado após o rompimento de uma barragem. Na cidade de Colatina, um homem não resistiu após ter a casa atingida por um deslizamento de terra.

A chuva voltou a castigar o Estado no final da tarde desta quinta-feira, provocando alagamentos e dificultando a vida do trabalhador capixaba. As principais vias da capital Vitória ficaram intransitáveis, com locais onde a água chegou na altura dos joelhos de quem passava. A ponte que liga Vitória a Vila Velha permaneceu fechada por toda a tarde. Segundo o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), choveu 110 mm até o final da tarde desta quinta. A previsão do Instituto é que a chuva continue até domingo no Espírito Santo.

São pelo menos 40 cidades muito afetadas pelas chuvas. Na lista, constam Vitória e mais cinco cidades que compõem a Região Metropolitana: Cariacica, Fundão, Viana, Vila Velha, Serra e Guarapari. Pelo menos 22 municípios já trabalham em documentação para decretar situação de Emergência ou Estado de Calamidade Pública.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da proibição de rodeios em JF, conforme prevê projeto em tramitação na Câmara?