Publicidade

05 de Janeiro de 2014 - 08:10

Por Cláudia Trevisan, enviada especial - Agencia Estado

Compartilhar
 

Os brancos foram os primeiros a sair de Detroit. Em 1950, representavam 84% da população. Hoje 83% são negros. Mas eles também estão indo embora: na década encerrada em 2010, 185,4 mil afro-americanos saíram da antiga capital mundial da indústria automobilística. Nesses dez anos, Detroit foi a cidade americana que perdeu o maior número de habitantes, com exceção de Nova Orleans, devastada pelo furacão Katrina.

Kurt Metzger, que há quase quatro décadas se dedica a analisar os dados de Detroit, diz que a hemorragia de habitantes começou após a Segunda Guerra e precedeu a decadência da indústria. Na volta da guerra, os soldados receberam incentivo financeiro para ocupar os subúrbios. Sob a forte segregação, os negros não, e ele ficaram em Detroit.

A saída da população branca acentuou-se a partir de 1967, quando a cidade registrou um dos mais violentos conflitos raciais do país após uma batida policial em um bar para negros. Os choques provocaram a morte de 43 pessoas e deixaram outras 1.189 feridas. As informações são do jornal

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que alertas em cardápios e panfletos de festas sobre os riscos de dirigir sob efeito de álcool contribuem para reduzir o consumo de bebidas por motoristas?