Publicidade

04 de Dezembro de 2013 - 17:34

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) anunciou nesta quarta-feira que o velejador Torben Grael vai ganhar neste ano o Troféu Adhemar Ferreira da Silva, premiação especial entregue durante a cerimônia do Prêmio Brasil Olímpico, marcada para o dia 17 de dezembro, em São Paulo. A honraria é dedicada aos grandes atletas nacionais, que entraram para a história por suas conquistas e servem de exemplo de "conduta, ética, respeito e profissionalismo".

Maria Lenk, Joaquim Cruz, Eder Jofre, Bernard Rajzman e Hortência Marcari foram alguns dos ganhadores anteriores do Troféu Adhemar Ferreira da Silva, honraria que é entregue sempre junto com o Prêmio Brasil Olímpico. Nesta 15ª edição da premiação do COB, os candidatos na disputa de melhor atleta do ano são: Poliana Okimoto (maratona aquática), Rafaela Silva (judô) e Yane Marques (pentatlo moderno) no feminino; Arthur Zanetti (ginástica artística), Cesar Cielo (natação) e Jorge Zarif (vela) no masculino - nesse caso, a eleição é aberta ao público.

Empatado com o também velejador Robert Scheidt, Torben Grael é o maior medalhista olímpico da história do Brasil, com cinco pódios na carreira. Ele foi ouro em Atlanta/1996 e Atenas/2004, prata em Los Angeles/1984 e bronze em Seul/1988 e Sydney/2000. Além disso, coleciona seis títulos mundiais e fez sucesso ainda na vela oceânica, ao ser campeão da regata de volta ao mundo Volvo Ocean Race de 2008/2009 como capitão da embarcação.

Diante desse currículo, Torben Grael acabou sendo escolhido pelo COB para receber a homenagem neste ano. "O esporte olímpico brasileiro tem um grande orgulho de poder contar com o exemplo de Torben Grael. Além das alegrias que nos deu velejando e conquistando vitórias nas mais importantes competições do mundo, Torben é referência por sua conduta, ética e valores", afirmou o presidente da entidade, Carlos Arthur Nuzman.

"Recebi a notícia do Troféu Adhemar Ferreira da Silva com muita satisfação. É um reconhecimento por uma vida dedicada à vela e ao esporte brasileiro. O fato de não ser uma homenagem destinada apenas aos feitos esportivos também é motivo de orgulho. Nós, no esporte, representamos uma imagem seguida por muitas pessoas, principalmente os jovens. É importante que essa imagem passada seja positiva, de bons valores", disse Torben Grael.

Atualmente com 53 anos, Torben Grael está trabalhando como treinador da seleção brasileira de vela, que faz a preparação para a Olimpíada do Rio em 2016. "É um trabalho que não é tão divertido como ser atleta, mas é onde eu posso dar uma contribuição à vela e ao esporte brasileiro, passando um pouco da minha experiência e ajudando a planejar as ações da Confederação para tentar aumentar ainda mais a participação brasileira na vela", contou.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?