Publicidade

11 de Março de 2014 - 06:41

Por Felipe Rosa Mendes - Agencia Estado

Compartilhar
 

São Paulo e Santos empataram sem gols neste domingo, no Morumbi, no duelo mais aguardado da rodada do Paulistão. Apesar do placar inalterado, as duas equipes fizeram um jogo movimentado desde o início, com boas chances de gol para os dois lados e uma arbitragem polêmica, protagonizada pelos assistentes que vão representar o Brasil na Copa do Mundo.

O juiz Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza também deu boa contribuição à polêmica ao marcar, e logo em seguida anular, um pênalti a favor do Santos aos 45 minutos do segundo tempo. Sem penalidade e sem gols, os dois times tiveram que se contentar com um ponto na tabela do Estadual.

Com 15 pontos, o São Paulo segue na segunda colocação do Grupo A, ainda atrás do Penapolense (18). O Santos, por sua vez, chegou aos 23, na liderança do Grupo C. Para o time da casa, o resultado também foi negativo por manter o jejum de vitórias em clássicos. O duelo deste domingo foi o 12º sem triunfos em partidas contra os principais rivais.

O JOGO - O clássico deste domingo começou com uma aposta de Muricy Ramalho ainda no vestiário. Ele sacou Ganso da equipe, por "opção técnica e tática", e escalou um 4-3-3, com Maicon e Pabón, mais avançado, responsáveis pela marcação. Osvaldo e Luis Fabiano comandariam o ataque. O veto a Ganso serviria de alerta para o irregular jogador.

A aposta, que soou arriscada à torcida, demorou para dar resultados em campo. Antes disso, o Santos criou a melhor chance do primeiro tempo, logo aos 8 minutos. Em uma saída errada de Rogério Ceni, Cícero encheu o pé na entrada da área e parou no goleiro. Leandro Damião tentou aproveitar o rebote, mas foi bloqueado pela zaga.

O lance acendeu os dois times, que passaram a exagerar na marcação e nas faltas. Resultado: cinco cartões amarelos somente na etapa inicial. A arbitragem precisou intervir em duas jogadas para "esfriar" a partida.

Os assistentes, contudo, deram pouca contribuição para a tranquilidade dos jogadores. Representantes do Brasil na Copa do Mundo, os bandeiras Emerson Augusto de Carvalho e Marcelo Van Gasse alternaram erros nas laterais do gramado. Os dois times tiveram motivos para reclamar.

Aos poucos, as reclamações e as jogadas mais pegadas deram lugar ao bom futebol. E foi aí que a aposta de Muricy começou a empolgar a pouca torcida presente no Morumbi. Com grande volume de jogo, o São Paulo pressionava a defesa santista. Sem um marcador de ofício, contava até com laterais e até os zagueiros para assustar o goleiro Aranha.

Foram ao menos três boas chances. Aos 40, Antonio Carlos desperdiçou duas boas chances de abrir o placar. Três minutos depois, foi a vez de Paulo Miranda mandar com perigo no gol santista.

Depois do susto no fim do primeiro tempo, o Santos tentou reequilibrar o duelo no início do segundo tempo. E, aos 8, Thiago Ribeiro já finalizava dentro da área, mandando rente ao travessão. A resposta são-paulina foi imediata. No minuto seguinte, Maicon bateu forte, mas parou em Aranha. Aos 12, Cicinho quase marcou contra ao desviar por cima do gol santista.

Apesar da superioridade do time da casa, Muricy resolveu abdicar de sua aposta e colocou Ganso em campo, no lugar de Douglas, aos 28. A mudança manteve o jogo cadenciado, depois da correria no início da etapa.

Do outro lado, o Santos continuava atacando pouco, mas era quem criava as jogadas mais agudas. Aos 26, Leandro Damião subiu entre os zagueiros e cabeceou com perigo. Rogério Ceni caiu no canto e fez grande defesa. Aos 39, Cicinho também ameaçou o gol anfitrião em cruzamento da direita que carimbou o travessão.

Nos minutos finais, os dois treinadores fizeram suas últimas apostas. Muricy colocou Ademilson em campo, enquanto Oswaldo de Oliveira tentou com Gabriel, sem sucesso. A maior emoção do final se deveu a uma marcação confusa da arbitragem.

Aos 45, o juiz Marcelo Aparecido anotou pênalti em Mena antes de conferir a marcação de impedimento do bandeira. Ao confirmar a posição irregular do lateral santista, o árbitro recuou e causou a reclamação dos jogadores do Santos, que deixaram o gramado no apito final insatisfeitos com a arbitragem.

Os dois times voltam a campo no meio de semana para a próxima rodada do Paulistão. O time de Muricy jogará na quarta-feira contra o XV de Piracicaba, fora de casa. O Santos vai enfrentar o Bragantino no dia seguinte, na Vila Belmiro.

SÃO PAULO 0 x 0 SANTOS

SÃO PAULO - Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rodrigo Caio, Antonio Carlos e Alvaro Pereira; Souza, Maicon e Douglas (Ganso); Osvaldo (Ademilson), Pabón e Luis Fabiano. Técnico: Muricy Ramalho.

SANTOS - Aranha; Cicinho, Neto, Gustavo Henrique e Mena; Arouca, Alan Santos (Gabriel) e Cícero; Geuvânio (Rildo), Thiago Ribeiro e Leandro Damião. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

CARTÕES AMARELOS - Rodrigo Caio, Geuvânio, Alvaro Pereira, Neto, Osvaldo, Cicinho, Gustavo Henrique.

ÁRBITRO - Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza.

RENDA - R$ 429.610,00

PÚBLICO - 16.337 pagantes.

LOCAL - Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP).

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que alertas em cardápios e panfletos de festas sobre os riscos de dirigir sob efeito de álcool contribuem para reduzir o consumo de bebidas por motoristas?