Publicidade

09 de Dezembro de 2013 - 10:01

Por Felipe Rosa Mendes - Agencia Estado

Compartilhar
 

Dois dos três torcedores ainda internados após a violenta briga nas arquibancadas do jogo entre Atlético-PR e Vasco, no domingo, devem ter alta nesta segunda-feira. Com quadro estável e lúcidos, eles estão sendo atendidos no Hospital Municipal São José, de Joinville, em Santa Catarina.

Estevão Viana, de 24 anos, e Gabriel Ferreira Vitael, de 20 anos, passaram a noite em observação no setor de neurologia por precaução. Segundo o hospital, eles estão conscientes, já conversam normalmente e devem ter alta na tarde desta segunda.

Os exames realizados no domingo, como tomografias, não constataram lesões graves na cabeça dos dois torcedores, apesar das fortes pancadas sofridas durante a briga generalizada na Arena Joinville, na última rodada do Brasileirão.

Ainda de acordo com informações do hospital, nenhum dos quatro internados no domingo chegou a entrar em coma ou correr sério risco de morte. O caso mais grave era o de William Batista, de 19 anos. Ele chegou a ser encaminhado pelo helicóptero da Polícia Militar.

Após dar entrada no Hospital Municipal São José, junto dos outros torcedores, foi transferido para um hospital particular, por opção da família. William, que inspirava mais cuidados, também passou a noite em observação no setor de neurologia, mas ainda não tem prazo para ser liberado.

Em razão das pancadas na cabeça, ele sofreu uma leve fratura no crânio, que não chega a configurar traumatismo craniano, segundo o hospital. William deve seguir em observação para avaliar a evolução do seu quadro. Assim como os demais, o torcedor está lúcido e conversa normalmente com médicos e enfermeiras.

Diogo Cordeiro da Costa Ferreira, que também foi internado após a briga, teve alta ainda na noite de domingo. O torcedor de 29 anos não sofreu lesões graves e foi liberado pelos médicos do Hospital Municipal São José.

A briga entre os torcedores do Atlético-PR e do Vasco teve início aos 17 minutos do primeiro tempo e demorou para ser contida, porque não havia polícia dentro do estádio. A PM estava atuando apenas fora da Arena Joinville. Internamente, havia segurança particular, contratada pelo mandante Atlético-PR para o jogo deste domingo.

Por causa da briga, cheia de imagens chocantes, o jogo ficou paralisado por mais de 1 hora. Após a intervenção da PM, que controlou a confusão e assumiu o policiamento dentro do estádio, inclusive com aumento de efetivo, o árbitro pôde recomeçar a partida. No final, o Atlético venceu por 5 a 1 e decretou o rebaixamento do Vasco.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da proibição de rodeios em JF, conforme prevê projeto em tramitação na Câmara?