Publicidade

19 de Dezembro de 2013 - 08:55

Por - Agencia Estado

Compartilhar
 

O Conselho Municipal de Educação (CME) de São Paulo, composto por nove titulares e nove suplentes, não tem representantes da comunidade escolar (pais e alunos), aponta levantamento feito pelo Observatório da Educação, da ONG Ação Educativa. Segundo o estudo, metade dos conselheiros é do poder público e quase um terço vem de instituições acadêmicas.

A legislação prevê que o CME tenha três representantes do poder público, de livre escolha da Prefeitura, três representantes do magistério, indicados pela Secretaria Municipal de Educação, e três da comunidade, escolhidos pelo Executivo a partir de lista tríplice enviada por entidades.

Outro problema, segundo a ONG, é que o conselho cumpre só funções mais burocráticas e tem baixa autonomia. A assessoria de imprensa da secretaria informou que o tema ainda não foi posto em discussão na pasta. As informações são do jornal

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?