Publicidade

10 de Março de 2014 - 22:06

Por Wellington Bahnemann - Agencia Estado

Compartilhar
 

O consumo de gás natural no Brasil registrou queda de 7,05% em dezembro deste ano na comparação com o mesmo período de 2013, informou a Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás), nesta quarta-feira, 29. Em dezembro passado, as vendas das concessionárias somaram 60,91 milhões de metros cúbicos por dia, volume inferior aos 65,53 milhões de metros cúbicos ao dia apurados em igual mês de 2012. Esse desempenho reflete basicamente a desaceleração da demanda do segmento termoelétrico.

De acordo com os dados consolidados pela Abegás, o segmento industrial atendido pelas distribuidoras consumiu 26,25 milhões de metros cúbicos ao dia em dezembro de 2013, alta de 3,52% frente aos 25,35 milhões de metros cúbicos de igual intervalo de 2012. As vendas de gás para o segmento de cogeração, outro mercado ligado às indústrias, tiveram forte queda de 10,37%, de 2,60 milhões de metros cúbicos para 2,33 milhões de metros cúbicos. Já o uso do gás para matéria-prima teve aumento no volume, de 2,31%, passando de 734,7 mil metros cúbicos para 751,7 milmetros cúbicos.

Outro segmento que voltou a decepcionar foi o automotivo, cujas vendas recuaram 3,59% no período, de 5,53 milhões de metros cúbicos para 5,33 milhões de metros cúbicos. Em contrapartida, os mercados de pequenos volumes tiveram desempenho positivo. O consumo de gás residencial cresceu 4,31%, para 950,3 mil metros cúbicos. Já a demanda da classe comercial subiu 6,94%, para 799,6 mil metros cúbicos.

O consumo de gás para a geração de energia elétrica diminuiu 8,9%, de 25,55 milhões de metros cúbicos para 23,46 milhões demetros cúbicos. Embora inferior ao de dezembro de 2012, o volume verificado em dezembro deste ano está em linha com o consumo registrado em novembro de 2013, que foi de 23,74 milhões de m?/d. Esse desempenho reflete a necessidade de o Operador Nacional do Sistema Elétrico (NOS) manter as térmicas ligadas para garantir a segurança do sistema e evitar a redução do nível dos reservatórios, sobretudo por conta das chuvas mais fracas ao longo do mês de janeiro.

A menor demanda térmica por gás influenciou o desempenho da classe de consumo denominada "outros" pela Abegás. Na visão da entidade, este segmento é basicamente constituído pelas usinas não faturadas pelas distribuidoras, mas que remuneram as concessionárias pelo uso do sistema de distribuição. São os casos da térmica Araucária (PR) e de outra usina no Mato Grosso do Sul. Segundo a Abegás, as vendas de gás na classe "outros" diminuíram 74,87% entre dezembro de 2013 e igual mês de 2012, de 4,08 milhões de metros cúbicos para 1,41 milhão de metros cúbicos.

Entre os Estados, as concessionárias do Rio de Janeiro lideraram as vendas do insumo, com um volume total de 17,90 milhões de metros cúbicos. Em segundo, vem as distribuidoras de São Paulo, com 15,79 milhões de metros cúbicos. Em terceiro lugar está Minas Gerais, com 4,20 milhões de metros cúbicos, seguido pela Bahia, com 3,64 milhões de metros cúbicos, e Pernambuco, com 2,84 milhões de metros cúbicos.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você confia nas pesquisas eleitorais?