Publicidade

10 de Março de 2014 - 22:02

Por Elder Ogliari - Agencia Estado

Compartilhar
 

No terceiro dia de greve por aumento de salários, os rodoviários de Porto Alegre deixaram todos os ônibus do transporte coletivo de passageiros nas garagens das empresas, nesta quarta-feira, 29. A decisão da categoria desafia a Justiça, que havia determinado, na terça-feira, 28, que 70% dos coletivos circulassem nos horários de pico, das 5h30 às 8h30 e das 17h às 20h. Nos dois primeiros dias da paralisação, alguns ônibus circularam nesses horários. A desobediência vai custar multa de R$ 50 mil por dia ao Sindicato dos Rodoviários.

Diante da greve, trabalhadores que precisavam se deslocar lotaram as paradas de ônibus e acabaram se reunindo em grupos para dividir corridas de táxi, recorrendo a caronas e usando as lotações, serviço de microônibus que foi autorizado pelo município a transportar passageiros em pé, em caráter de excepcionalidade. Por volta das 9 horas não havia mais grandes aglomerações nas paradas e as lojas da região central da cidade estavam abertas.

Os rodoviários querem 14% de aumento, mas as empresas condicionam a negociação à revisão da tarifa, que chegou a ir a R$ 3,05 no início do ano passado e recuou para os atuais R$ 2,80 depois de uma série de manifestações populares e da desoneração de impostos feita pelo governo federal. A prefeitura, por sua vez, espera que o Tribunal de Contas se manifeste sobre uma inspeção especial que fez para analisar a planilha de custos do transporte coletivo.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você está evitando contrair dívidas maiores em função da situação econômica do país?