Publicidade

06 de Janeiro de 2014 - 08:07

Por Fábio Hecico - Agencia Estado

Compartilhar
 

Quando assumiu o comando do Corinthians a primeira vez, em 2008, Mano Menezes disse que tinha pela frente o maior desafio da carreira. Cumpriu as metas, recolocou o time na divisão de elite, ganhou títulos importantes e só saiu para assumir a seleção brasileira. Agora, passados três anos da despedida, o treinador volta novamente sob desconfiança e pressão.

Em 2008, Mano Menezes ainda era uma aposta no cenário nacional, após um bom trabalho no Grêmio. E se sobressaiu, levando o Corinthians aos títulos da Série B, do Paulistão e da Copa do Brasil. Por isso mesmo, recebeu o convite do então presidente da CBF, Ricardo Teixeira, para assumir a seleção brasileira após a Copa do Mundo de 2010, em substituição a Dunga.

Agora, ele chega ao Corinthians para apagar a má impressão deixada por suas passagens frustradas na seleção brasileira e no Flamengo. E também está pressionado a conviver com a sombra vencedora de Tite, que muitos torcedores corintianos cobravam da diretoria que tivesse o contrato renovado em dezembro, quando acabou sua passagem de mais de três anos pelo clube.

Mas o presidente do clube, Mário Gobbi, optou pelo retorno do amigo Mano Menezes. Consciente da pressão que o treinador pode enfrentar neste retorno, o dirigente já divulgou mensagem de apoio e pediu compreensão dos corintianos. Acontece que, depois de um segundo semestre de 2013 decepcionante, a torcida do Corinthians não admite mais fracassos.

Mano Menezes, portanto, terá de "reorganizar a casa", recuperar a imagem desgastada de alguns jogadores e fazer o ataque voltar a marcar gols. Tudo isso começa nesta segunda-feira, quando o elenco volta das férias e o treinador começa efetivamente a trabalhar.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você participa das celebrações da Semana Santa?