Publicidade

06 de Janeiro de 2014 - 18:12

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

Enquanto o maior jogador português de todos os tempos era sepultado, o grande candidato a assumir o posto entrou em campo nesta segunda-feira com a camisa do Real Madrid. Em jogo válido pela 18.ª rodada, Cristiano Ronaldo marcou duas vezes na vitória por 3 a 0 sobre o Celta, no Santiago Bernabéu, e reassumiu o posto de artilheiro da competição.

Antes da partida, os dois times respeitaram um minuto de silêncio ao ex-jogador, que morreu aos 71 anos e foi enterrado em Lisboa. Ronaldo, porém, ao comemorar seus gols, não fez homenagens a Eusébio. Os dois craques se envolveram em polêmica recente, quando o atacante marcou seu 41.º gol por Portugal e igualou o antigo ídolo. Este se disse triste pela comparação e disse que precisou de menos jogos. "Recordes são para ser batidos", retrucou o jogador do Real, na ocasião.

E Cristiano Ronaldo adora bater recordes. Numa temporada fantástica, chegou ao 20.º gol no Espanhol, mantendo a média de mais de um gol por partida. Ele ultrapassou na artilharia o brasileiro Diego Costa, que tem 19.

No primeiro jogo oficial do ano, o Real Madrid demorou a abrir o placar, o que só conseguiu fazer aos 22 minutos do segundo tempo, com Benzema completando boa jogada do jovem Jesé pela esquerda.

Cristiano deixou o primeiro dele aos 37. No lance, Daniel Carvajal desceu pela direita, cruzou, Benzema não alcançou e Cristiano Ronaldo, dividindo com o zagueiro, marcou no segundo pau. Depois, nos acréscimos, quem cruzou rasteiro foi Bale, com o português novamente só tendo o trabalho de escorar.

Com este resultado, o Real Madrid foi a 44 pontos no Campeonato Espanhol. Mas o time de Carlo Ancelotti segue cinco pontos atrás de Barcelona e Atlético de Madrid, que também venceram na rodada.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da proibição de rodeios em JF, conforme prevê projeto em tramitação na Câmara?