Publicidade

05 de Dezembro de 2013 - 21:00

Por Rene Moreira, especial para a AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

Exatos 30 dias depois da morte de Joaquim Ponte Marques, de 3 anos, continua sendo um mistério a forma como ele faleceu. Nesta quinta-feira, 4, o delegado Paulo Henrique Martins de Castro pediu ao Ministério Público a prorrogação da prisão do padrasto do menino, Guilherme Longo, e de sua mãe Natália Ponte. Também solicitou que o inquérito seja prorrogado por igual período.

O promotor responsável pelo caso, Marcos Túlio Nicolino, vai agora analisar as solicitações e encaminhar à Justiça. Caso não seja acatado o recurso para que sigam na cadeia, o casal será solto no início da próxima semana, quando vence a prisão temporária decretada no mês passado.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?