Publicidade

17 de Dezembro de 2013 - 15:22

Por Gustavo Porto e Beatriz Bulla - Agencia Estado

Compartilhar
 

A presidente Dilma Rousseff anunciou nesta terça-feira, 17, que o governo federal fará um conjunto de investimentos em mobilidade urbana no Estado de Pernambuco, de R$ 2,9 bilhões, em parceria com o Estado e com a prefeitura de Recife. O investimento servirá para realizar o projeto de VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), cinco corredores de ônibus, corredor fluvial e licitação do arco metropolitano, disse Dilma, durante cerimônia de conclusão da plataforma P-62 no Estaleiro Atlântico Sul, em Pernambuco. Os recursos do VLT serão um misto de capital a fundo perdido do governo federal e financiamento para a prefeitura, segundo Dilma.

"Os corredores de ônibus, (serão) 100% de recursos do orçamento geral da União. E também vamos colocar recursos para fazer um projeto de VLT do Centro para Boa Viagem", disse. A parceria com o Estado se dará no corredor fluvial e na licitação do arco metropolitano, cuja estimativa inicial de custo é de R$ 1 bilhão.

"Com esses dois conjuntos, nós estamos investindo em transporte coletivo R$ 5,7 bilhões, mais esse R$ 1 bilhão que ainda não temos certeza se será um pouco mais ou um pouco menos", disse a presidente, em referência ao que o seu governo já fez de investimento em mobilidade no Estado.

Dilma reafirmou que não se investia em mobilidade no Brasil, cobrou a construção de metrôs nas cidades grandes porque "é preciso segregar o lugar onde passa o transporte público" e repetiu que os investimentos totais no governo dela em mobilidade chegam a R$ 140 bilhões. "Mobilidade urbana é tempo para as pessoas".

A presidente citou novamente o programa Mais Médicos e lembrou que, dos 532 profissionais solicitados por 134 dos 185 municípios pernambucanos, 433 médicos (ou 81%) já foram oferecidos.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?