Publicidade

11 de Março de 2014 - 06:15

Por Erich Decat - Agencia Estado

Compartilhar
 

Considerada uma das prioridades do governo neste semestre, a discussão do projeto que tipifica o terrorismo no Senado deve ficar para depois do Carnaval.

O interesse pela proposta cresceu entre os senadores após a morte do cinegrafista da Band Santiago Andrade, atingido por um rojão quando cobria um protesto no Rio de Janeiro, no início deste mês.

Junto com interesse dos senadores, a matéria suscitou uma série de críticas de parlamentares da oposição e de setores da sociedade, o que fez o governo recuar. Entre as queixas apresentadas está a possibilidade de a proposta associar manifestantes e movimentos sociais ao terrorismo.

Segundo o relator da proposta, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), ainda não há uma data para a apresentação do relatório. As próximas semanas deverão ser dedicadas a ouvir integrantes do governo envolvidos no tema. "Estou ouvindo as instituições: Polícia Federal, Exército, Itamaraty, Ministério da Defesa e lendo os tratados de que o Brasil é signatário", disse o senador ao

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que a Justiça agiu corretamente ao permitir, por habeas-corpus, a soltura dos ativistas presos durante a Copa?