Publicidade

07 de Dezembro de 2013 - 10:07

Por Fabio Leite - Agencia Estado

Compartilhar
 

A 18 dias da data de inauguração prometida pelo governo Geraldo Alckmin (PSDB), a duplicação da Rodovia dos Tamoios ficou 20% mais cara. A estatal paulista Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa) assinou dois aditivos contratuais com o consórcio responsável pelos 49 quilômetros de pistas entre São José dos Campos e Paraibuna, que elevaram o custo da obra no trecho de Planalto em R$ 115 milhões.

Promessa de campanha do tucano nas eleições de 2010, a duplicação da Tamoios, que liga o interior a Caraguatatuba, no litoral norte, começou em maio de 2012. Dividida em dois lotes que ficaram a cargo do consórcio formado pelas empresas Encalso e S.A. Paulista, a obra do trecho de Planalto tinha custo original de R$ 557,4 milhões.

O valor previsto até a inauguração, prometida para dia 16, saltou para R$ 672,3 milhões. Os aditivos foram assinados no dia 29, mas, segundo a Dersa, só seriam publicados na edição de hoje do Diário Oficial. O lote 1, que vai do km 11,5 ao km 35,8, ficou R$ 48,6 milhões mais caro, ou 17%. Já o lote 2, que se estende do km 35,8 ao km 60,48, teve o custo elevado em R$ 66,3 milhões, ou 23%. No dia 20, ainda antes da assinatura dos aditivos, Alckmin repetiu que entregaria a Tamoios daqui a dez dias, antes do período de férias.

Quando foi ao canteiro de obras, em maio de 2012, Alckmin celebrou que os contratos assinados com o consórcio representavam um desconto de 32% em relação aos R$ 821 milhões de valor de referência inicialmente previstos para as obras. Com os acréscimos, a economia cai para 18%. Segundo o presidente da Dersa, Laurence Casagrande, os aumentos foram necessários, por causa de alterações feitas no escopo da obra.

"Foram incorporadas algumas quantidades e serviços além do planejado, além de algumas modificações, como uma ponte no km 54. Pelo projeto, ela seria de viga, mas a execução se mostrou inviável e, por isso, trocou-se por uma ponte em balanços sucessivos, que tem menos colunas", disse. De acordo com o diretor, o trecho deve ser aberto ao tráfego no dia 16, "a não ser que continue chovendo acima da média na região do Vale", mas toda a obra só deve ser concluída em fevereiro. "No dia 16, nós vamos entregar a pista totalmente duplicada ao tráfego. Mas a obra continua fora da pista, com trabalho de drenagem e contenção, por exemplo."

Além dos 49 quilômetros do trecho de Planalto, na região do Vale do Paraíba, o governo abriu consulta pública para duplicar os 22 quilômetros do trecho de serra, por meio de uma parceria público-privada (PPP). Paralelamente, já está em obra parte dos 34 quilômetros na Rodovia Rio-Santos, no trecho do litoral norte, chamado no projeto de duplicação da Tamoios de Contornos. As informações são do jornal

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?