Publicidade

08 de Dezembro de 2013 - 20:48

Por Marcio Dolzan - Agencia Estado

Compartilhar
 

O choro de Rafael Sobis no gramado e de Fred nas arquibancadas da Arena Fonte Nova resumem o fim de ano melancólico do Fluminense. A equipe até que voltou a vencer - fez 2 a 1 no Bahia, de virada -, mas foi tarde demais para evitar o rebaixamento à segunda divisão.

Depois do jogo, as declarações dos jogadores mesclaram lamentações e promessas de retorno à Série A. "Tínhamos que reverter uma situação difícil, mas não conseguimos. Nós não caímos nos últimos jogos, nós caímos no meio do campeonato", comentou o zagueiro Gum. "Agora temos que criar forças, pedir perdão a nossa torcida e cada um reconhecer sua parcela de culpa."

Sobre o rebaixamento, o meia Wagner avaliou que as inúmeras baixas do time ao longo do campeonato foram determinantes para a queda, mas também apontou problemas dos bastidores. "A gente sofreu muito no campeonato, por desfalques e coisas extracampo que pesaram dentro", disse. Recentemente, veio à tona problemas no pagamento a alguns atletas do clube.

Já para o goleiro Diego Cavalieri, que nos dois últimos jogos atuou ainda se recuperando de um corte na mão esquerda, o Fluminense precisa olhar para a frente. "Ano que vem temos que entrar para vencer todos os campeonatos, mas principalmente para voltar à Série A", afirmou.

O presidente do clube também lamentou a queda. "Acredito que o Flu ainda vai crescer muito. Sei da dor. Sei que não tenho o direito de cobrar nada do torcedor", afirmou Peter Siemsen, reeleito no fim de novembro para seguir na presidência do Fluminense por mais três anos. "Nesses três anos eu vou dar a minha vida por este clube", prometeu.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?