Publicidade

16 de Janeiro de 2014 - 15:49

Por Mateus Coutinho - Agencia Estado

Compartilhar
 

Sete dias após sua criação, o site feito para obter doações ao ex-deputado José Genoino, condenado no processo do mensalão, já arrecadou, até a manhã desta quinta-feira, 16, mais de R$ 450 mil. As informações são do coordenador do Núcleo Jurídico do PT, Marco Aurélio Carvalho. O valor corresponde a mais de 67% do total da multa imposta ao petista pela, no valor de R$ 667,5 mil. O ex-presidente tem até o próximo dia 20 para pagar a multa.

Ainda de acordo com os dados preliminares do PT, a quantia arrecadada até o momento contou com a contribuição de cerca de 500 doadores. "São desde o militantes que ganham um salário mínimo até professores de Direito e deputados federais. Isso é um motivo de puro conforto para Genoino e sua família", comenta Carvalho.

Na semana passada, a Justiça atualizou o valor da multa do petista, cujo valor inicial era de R$ 468 mil. A correção foi feita com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), a partir da data dos fatos que foram julgados pela Justiça. Ou seja, os R$ 468 mil eram em valores de 2003.

Como informou o jornal O Estado de S. Paulo nesta quinta, 15, enquanto sua família e seus amigos se mobilizam para arrecadar os recursos, Genoino alugou uma casa em uma região de classe média alta em Brasília no valor de R$ 4 mil. O imóvel tem 450 m² e servirá para hospedar o petista enquanto ele aguarda a definição do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre sua prisão domiciliar.

No final de dezembro, Joaquim Barbosa estabeleceu um prazo de 90 dias, contados desde 21 de novembro, para Genoino ficar em prisão domiciliar em Brasília. Ao fim desse prazo, Barbosa decidirá, após reavaliação do estado de saúde do petista, se o ex-presidente do PT voltará a cumprir pena na prisão em regime semiaberto pela condenação por corrupção ativa.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que campanha corpo-a-corpo ainda dá voto?