Publicidade

09 de Dezembro de 2013 - 11:43

Por Renan Carreira e Gabriela Lara - Agencia Estado

Compartilhar
 

A presidente Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira, 09, em evento do Bill Clinton Global Initiative, no Rio de Janeiro, que a solidez das finanças públicas e o controle da inflação são pilares da economia. A relação dívida pública e Produto Interno Bruto (PIB) chegou a um dos menores níveis em 2013, de 35%, segundo a presidente, que também destacou que a inflação fechou 2012 e vai encerrar 2013 em um nível de estabilidade, em torno de 5,8%, mantendo-se dentro da meta traçada nos últimos dez anos. Ela disse que, de devedor, o Brasil passou a condição de credor e hoje possui US$ 375 bilhões de reservas.

No discurso, Dilma afirmou também que o Brasil se torna, cada vez mais, uma terra de oportunidades. "Somos o terceiro país que mais atrai Investimento Estrangeiro Direto (IED). Estamos só atrás de Estados Unidos e China, segundo a Unctad (Conferência das Nações Unidas para Comércio e Desenvolvimento)."

Ela ressaltou, porém, que isso não significa que todos os problemas brasileiros estão resolvidos. "Por muitos anos, o Brasil foi pensado como um país pequeno. (Agora) temos enormes desafios, (uma vez que) pagamos por décadas de omissão na infraestrutura energética." Ela disse também que por muitos anos o Brasil não se voltou para vizinhos da América do Sul e Caribe.

A presidente destacou os investimentos na melhoria de rodovias, ferrovias, portos e aeroportos, além do leilão do Campo de Libra de petróleo, que trará nos próximos 35 anos mais de R$ 1 trilhão de receita ao País. E destacou a recente inclusão social como um fator dinamizador da economia nacional. "A atual expansão não se faz às custas de desigualdade social", disse.

Na última década, segundo ela, foram criados 20 milhões de empregos formais. "Todo esse processo, aliado à democratização do crédito, contribuiu para a construção de um mercado de consumo de massa."

Sobre a integração regional da América Latina, Dilma afirmou que não pode sacrificar os interesses específicos dos países da região. "A verdadeira integração, além de pregar a solidariedade, supõe respeito à soberania nacional", afirmou em seu discurso. Mas destacou que o dinamismo econômico e social está disseminado em todo o continente americano.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você tem percebido impacto positivo das operações policiais nas ruas da cidade?