Publicidade

11 de Março de 2014 - 20:39

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

Sem perder o embalo, apesar da queda na semifinal do Rio Open, Teliana Pereira estreou com boa vitória no Torneio de Florianópolis, nesta terça-feira. A número 1 do Brasil derrotou a espanhola Maria Teresa Torro-Flor, sétima cabeça de chave, por 2 sets a 0, com parciais de 6/4 e 6/3, na quadra dura da Federação Catarinense de Tênis.

Na segunda rodada, a atual número 103 do mundo terá pela frente a romena Alexandra Dulgheru, que avançou ao derrotar a colombiana Mariana Duque por 6/1 e 7/6 (7/5). Dona de dois títulos de nível WTA, Dulgheru já ocupou a 26ª posição do ranking, mas atualmente é apenas a 141ª.

Para alcançar a segunda rodada, Teliana mostrou boa resistência sob o forte calor de Florianópolis e aproveitou a dificuldade da rival em se adaptar ao clima mais úmido para dominar os pontos decisivos.

Mesmo superior, a brasileira exibiu irregularidade no saque. Teve aproveitamento de apenas 58% dos pontos quando jogou com o primeiro serviço e sofreu cinco quebras de serviço. A espanhola, contudo, teve ainda maior dificuldade no saque. Cometeu 12 duplas faltas e levou oito quebras em toda a partida, que durou 1h27min.

Com a vitória, Teliana é a única tenista da casa que segue viva na chave da competição. Na segunda, Beatriz Haddad Maia e Gabriela Cé foram eliminadas logo na estreia. Nesta terça, Paula Gonçalves não resistiu a Danka Kovinic, de Montenegro, e foi superada por 6/3 e 6/1. As três já haviam sido derrotadas na estreia do Rio Open, na semana passada.

Ainda nesta terça, a checa Klara Zakopalova, terceira cabeça de chave, venceu a croata Donna Vekic por duplo 6/3, enquanto a holandesa Kiki Bertens bateu a casaque Sesil Karatantcheva por 6/4, 1/6 e 6/2. A belga Alison Van Uytvanck avançou no torneio ao superar Hsieh Su-Wei, de Taiwan, por 6/3 e 6/2.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da adoção de medidas, como tarifas diferenciadas e descontos, para estimular a redução do consumo de água?