Publicidade

09 de Dezembro de 2013 - 20:22

Por Ricardo Brito - Agencia Estado

Compartilhar
 

Uma empresa contratada pelo Senado aplicou um calote nos funcionários. Trabalhadores terceirizados, que procuraram nesta segunda-feira senadores, afirmaram que a Zarcone Construções, Serviços e Transporte Ltda não pagou os salários de novembro e o vale-transporte e o auxílio-alimentação do mês de dezembro. A empresa fornece mão de obra de ascensoristas, segurança e outras funções para o Senado.

De acordo com o Portal da Transparência, a empresa foi contratada em novembro do ano passado ao custo inicial de R$ 1,1 milhão por 12 meses. A Zarcone paga salários que variavam de R$ 849,11 a R$ 1.412,34 - posteriormente, dois aditivos contratuais mudaram os valores do contrato, que ao final do período ficou em R$ 948 mil.

Senadores protestaram em plenário contra a falta de pagamento dos trabalhadores. O senador Paulo Paim (PT-RS) cobrou explicações à Direção-Geral da Casa e da empresa de não ter quitado as despesas dos terceirizados. Paim disse que o Senado paga em dia as despesas do contrato, mas, mesmo assim, a empresa não teria repassado os valores aos empregados.

"Nós que fizemos as leis, como é que vamos admitir que os nossos funcionários estejam sem salários? É uma postura covarde dessa empresa, que deve ter recebido, e muito bem, do Senado e não paga os funcionários da Casa, que ganham, em média, mil reais, setecentos reais, salário mínimo", criticou Paim, que recebeu um grupo de funcionários da empresa. Ele afirmou que terceirizados da empresa contaram que precisaram pegar dinheiro emprestado para irem ao Senado.

Os senadores Cristovam Buarque (PDT-DF) e Ruben Figueiró (PSDB-MS) cobraram a regularização imediata da situação. Cristovam disse que a "Casa do povo" não poderia ficar "um dia ou dois" dias sem quesituação fosse resolvida. Figueiró, que presidiu a sessão desta tarde, disse ter entrado em contato com o diretor-geral do Senado, Helder Rebouças, que lhe informou ter tomado todas as providências necessárias para regularizar os pagamentos do contrato.

A assessoria de imprensa da Diretoria-Geral confirmou o calote da Zarcone. Segundo o órgão, a empresa não pagou até sexta-feira passada o salário de novembro e o vale-transporte e auxílio-alimentação de dezembro dos 28 trabalhadores, conforme previsto no contrato.

O Senado disse nesta segunda-feira que vai notificar a Zarcone para efetuar o pagamento em 48 horas e que, por ser responsável solidária da empresa, só poderia passar a arcar com as despesas dos trabalhadores ao final desse período. A Casa informou ainda que renovou o contrato com a Zarcone no final do mês passado, que vence em 25 de novembro de 2014. Contatada pelo telefone, ninguém da empresa foi encontrado para comentar o assunto.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a multa para o consumidor que desperdiçar água, conforme anunciou o Governo de São Paulo?