Publicidade

16 de Dezembro de 2013 - 11:46

Por José Roberto Gomes - Agencia Estado

Compartilhar
 

Os preços do etanol hidratado nos postos brasileiros subiram em 18 Estados, caíram em seis e ficaram estáveis no Amapá, em Rondônia e no Distrito Federal na semana encerrada em 14 de dezembro, de acordo com dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). No período de um mês, os preços do etanol subiram em 23 Estados e no Distrito Federal e caíram na Paraíba, em Pernambuco e em Sergipe.

Em São Paulo, principal Estado consumidor, a cotação subiu 1,40% na semana, para R$ 1,879 o litro. No período de um mês, acumula alta de 5,86%. Na semana, a maior queda, de 2,13%, ocorreu no Piauí, enquanto a maior alta foi registrada no Mato Grosso (+3,43%). No mês, os preços caíram mais em Sergipe (-1,44%) e subiram mais em Goiás (+8,98%).

No Brasil, o preço mínimo registrado para o etanol foi de R$ 1,579 o litro, no Estado de São Paulo, e o máximo foi de R$ 3,02/litro, no Pará. Na média, o menor preço foi de R$ 1,879 o litro, em São Paulo. O maior preço médio foi verificado em Roraima, de R$ 2,752 o litro.

Os preços do etanol nos postos de combustíveis são competitivos em relação à gasolina em Goiás, no Mato Grosso, no Mato Grosso do Sul, Paraná e em São Paulo pela segunda semana consecutiva. Nos demais 21 Estados brasileiros e no Distrito Federal a gasolina está mais competitiva.

Segundo o levantamento, o preço do etanol em Goiás equivale a 69,79% do valor da gasolina. No Mato Grosso, a relação está em 66,54%; no Mato Grosso do Sul, em 69,83%; no Paraná, em 67,26%; e em São Paulo, em 66,42%. A gasolina está mais vantajosa principalmente em Roraima, onde o etanol custa o equivalente a 89,29% do preço da gasolina. O preço médio da gasolina em São Paulo está em R$ 2,829 o litro. Na média da ANP, o preço do etanol no Estado ficou em R$ 1,879 o litro.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?