Publicidade

11 de Março de 2014 - 02:44

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

O déficit no orçamento federal dos Estados Unidos diminuiu nos primeiros meses do atual ano fiscal, em mais um sinal de melhora na perspectiva financeira do país. Entre outubro e janeiro, o déficit orçamentário norte-americano somou US$ 184,02 bilhões, uma queda de 37% em comparação com do saldo negativo de US$ 290,41 bilhões registrado no mesmo período um ano antes, segundo dados do Departamento do Tesouro.

As finanças federais vêm melhorando recentemente. O déficit em 2013 caiu abaixo de US$ 1 trilhão pela primeira vez em cinco anos, depois que a lenta recuperação da economia e o aumento dos impostos provocaram crescimento nas receitas. O déficit de US$ 680,28 bilhões registrado no ano passado representou um declínio de mais de um terço em relação ao valor do ano anterior.

O Escritório de Orçamento do Congresso prevê um déficit de US$ 514 bilhões em todo o ano de 2014, o mais baixo desde 2007, mas a boa notícia pode durar pouco. No início deste mês, o órgão não partidário afirmou que se a legislação atual não for mudada, o déficit diminuirá novamente em 2015, mas depois voltará a crescer, superando US$ 1 trilhão até 2022.

O relatório do Departamento do Tesouro mostra que a receita federal aumentou 8%, para US$ 960,60 bilhões, nos primeiros quatro meses do atual ano fiscal. Os gastos caíram 3%, para US$ 1,145 trilhão, em parte por causa da melhora nas finanças da Fannie Mae e da Freddie Mac. As duas empresas pagaram ao Tesouro US$ 39,57 bilhões no fim do ano passado. Por causa da forma como o governo contabiliza os fundos, eles são deduzidos dos gastos, e não incluídos nas receitas. Os gastos com defesa, agricultura e benefícios a desempregados também diminuíram.

Em janeiro, o déficit orçamentário dos EUA foi de US$ 10,42 bilhões. Economistas consultados pela Dow Jones Newswires previam déficit de US$ 10 bilhões. Fonte: Dow Jones Newswires.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você confia nas pesquisas eleitorais?