Publicidade

14 de Janeiro de 2014 - 18:19

Por Ciro Campos - Agencia Estado

Compartilhar
 

O técnico da seleção dos Estados Unidos, Jurgen Klinsmann, disse nesta terça-feira em São Paulo que a comissão técnica já pensa em alternativas para minimizar o desgaste da delegação que mais vai viajar pelo Brasil durante os três jogos da primeira fase da Copa do Mundo. Em vez de voltar para São Paulo, onde ficará concentrado, o time pensa em seguir diretamente de uma sede de jogo para outra.

Caso não opte por isso, os EUA vão acumular mais de 14 mil quilômetros de viagem de São Paulo até as cidades de Natal, Manaus e Recife, onde jogarão na primeira fase. "Pretendemos quem sabe viajar de uma cidade de jogo para outra diretamente, sem volta para São Paulo depois de cada partida. Assim vamos diminuir o desgaste. Nossa vantagem é que os jogadores americanos estão acostumados com longos deslocamentos", disse o técnico.

Klinsmann garantiu não estar arrependido de ter escolhido a concentração da equipe em São Paulo, apesar da distância para os locais das partidas. "Não tinha como esperar o sorteio dos grupos para definir nossa concentração. Corríamos o risco de ficar sem opções. Achei o CT do São Paulo o melhor lugar para nós e estamos felizes por isso", afirmou o alemão, que fez questão de transferir para a capital paulista a temporada de treinos de janeiro realizada com a seleção americana. Nos anos anteriores a sede foi Los Angeles.

Fora as longas viagens na Copa, a seleção americana terá de jogar sob forte calor. A estreia contra Gana, será em Natal, depois o adversário será Portugal, em Manaus, e por fim, o confronto contra a cabeça-de-chave do grupo G, a Alemanha, está marcado para às 13h de Recife. Mesmo com a agenda complicada, o técnico disse que o grupo está acostumado a jogar em climas extremos na América Central, principalmente em Honduras e Costa Rica.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você pretende substituir o ovo de Páscoa por outros produtos em função do preço?