Publicidade

11 de Março de 2014 - 06:50

Por Gerson Monteiro, especial para AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

A pacata cidade de Santa Branca, no Vale do Paraíba, a 80 km de São Paulo, amanheceu assustada depois de uma ação criminosa ousada. Dez caixas eletrônicos dos bancos do Brasil, Santander e Bradesco foram explodidos por volta das 4h da madrugada deste domingo, 23.

De acordo com a Polícia Militar, a ação simultânea teria sido planejada, pois durou cerca de 10 minutos e os bandidos se dividiram em grupos. Pelo menos 20 homens participaram dos roubos. As três agências bancárias ficam na região central da cidade de pouco mais de 13 mil habitantes. O Banco do Brasil fica a poucos metros da delegacia.

Segundo a Polícia Civil, uma viatura da Polícia Militar chegou ao local para atender a ocorrência e chegou a pedir reforço, mas acabou apenas acompanhando a ação dos bandidos à distância. Não houve chance de reação dos policiais devido ao forte armamento utilizando pelo bando, que intimidou a polícia com tiros de fuzis e pistolas a carros que passavam pelo cenário da ação. As ruas que dão acesso aos bancos foram bloqueadas pelos bandidos.

A perícia encontrou diversas cápsulas de fuzil e pistolas nas proximidades dos bancos. A informação divulgada pela polícia é a de que o grupo teria fugido por uma estrada que dá acesso a Paraibuna, na Rodovia dos Tamoios (SP-99).

Responsáveis pelas agências bancárias roubadas estiveram durante o dia prestando informações ao delegado responsável pela delegacia de Santa Branca, Luiz Paulo.

Durante a semana a investigação deve analisar as imagens das câmeras de segurança dos bancos e comércios próximos. A cidade está sem caixa eletrônico e a quantia roubada não foi informada pelos bancos. Na ação foram explodidos seis caixas do Banco do Brasil, três do Santander e um do Bradesco.

As explosões na madrugada deixaram os moradores assustados. "Não me lembro disso ter acontecido aqui antes. Ficamos assustados, Santa Branca é uma cidade muito pequena e calma", comentou Andressa de Paula Dias, ajudante geral em um hotel próximo ao Banco do Brasil. No momento das explosões havia dois hóspedes no hotel.

De acordo com a balconista de uma padaria próxima aos bancos, os roubos foram o "assunto do dia". "O que ouvimos aqui o dia todo foi que como apenas um policial pode ser capaz para dez bandidos? Aí fica difícil, né", indagou a balconista que pediu para não ser identificada. Ela confirmou o clima de insegurança entre os moradores depois da madrugada deste domingo. "Todo mundo está assustado", comentou.

Durante a manhã de domingo a região central virou "ponto turístico", moradores foram até próximo aos bancos para conferir os estragos causados nas agências bancárias. A polícia isolou as áreas para o trabalho da perícia.

De acordo com a Polícia Civil, a princípio o caso não teria ligações com o caso das mortes e prisões de bandidos no Sul de Minas Gerais no sábado, 22.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você já presenciou manifestações de intolerância religiosa?