Publicidade

20 de Janeiro de 2014 - 11:28

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

Roger Federer venceu o francês Jo-Wilfried Tsonga por 3 sets a 0, com parciais de 6/3, 7/5 e 6/4, nesta segunda-feira, e foi às quartas de final do Aberto da Austrália. Cabeça de chave número 6 do Grand Slam realizado em Melbourne, o tenista suíço vem exibindo força em sua campanha, pois ainda não foi batido em nenhum set até aqui, e se credenciou para fazer um grande confronto diante do britânico Andy Murray, que horas mais cedo passou pelo também francês Stephane Robert por 3 a 1.

A vitória desta segunda-feira teve sabor especial para Federer, pois no ano passado ele foi eliminado de Roland Garros justamente para Tsonga, atual décimo colocado do ranking mundial, que na ocasião despachou o suíço por 3 sets a 0. Esse foi, por sinal, o décimo triunfo do recordista de títulos de Grand Slam em 14 jogos com o francês.

Agora, diante de Murray, Federer irá reeditar a semifinal do ano passado na Austrália, onde o britânico venceu por 3 sets a 2 antes de ser superado pelo sérvio Novak Djokovic na decisão. O tenista escocês também ostenta pequena vantagem no retrospecto de duelos com o suíço, batido em 11 dos 20 confrontos entre os dois.

Para poder encarar Murray mais uma vez em Melbourne, Federer teve uma grande atuação e foi dominante nesta segunda-feira. Na primeira parcial, liquidada em apenas 29 minutos, aproveitou a única chance de quebra de saque cedida pelo francês para abrir vantagem e depois fazer 6/3.

Na segunda parcial, assim como na primeira, o suíço não ofereceu nenhum break point a Tsonga e, ao converter uma de duas chances de quebra, garantiu o 7/5 que o deixou a um set da vitória. E, na derradeira parcial, mais uma vez confirmou todos os seus serviços e, com uma quebra em quatro oportunidades, obteve o 6/4 que o levou às quartas de final.

Eficiente com o saque na mão, Federer ganhou 88% dos pontos que disputou quando encaixou o seu primeiro serviço, fator determinante para Tsonga ter conseguido apenas um break point em todo o jogo. Para completar, o suíço acumulou 43 bolas vencedoras, contra 29 do francês, e cometeu menos erros não-forçados (21 a 28).

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?