Publicidade

10 de Janeiro de 2014 - 15:43

Por Idiana Tomazelli - Agencia Estado

Compartilhar
 

A aceleração do Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) na primeira prévia de janeiro foi influenciada basicamente pelo impacto do reajuste dos combustíveis, afirmou o superintendente adjunto de inflação da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Salomão Quadros. "Se a gente esquecer os combustíveis, nem tudo está acelerando dessa maneira. Não há nada subindo explosivamente", disse.

Na primeira prévia de janeiro, o IGP-M teve alta de 0,37%, contra 0,32% em igual período de dezembro. Segundo Quadros, o resultado não está definindo se o IGP-M de janeiro será superior ou inferior ao verificado em dezembro (+0,60%).

"O efeito dos combustíveis vai se dissipar. Apenas um terço dele estará no IGP-M de janeiro. Mas tem outras coisas que vão subir, sobretudo no IPC, como mensalidades escolares e alimentos in natura", explicou. Em relação ao câmbio, Quadros afirmou que os reflexos da alta da moeda americana começam a dar sinais sobre os preços, ainda que em alguns itens isoladamente. Para ele, é cedo dizer que haverá um novo ciclo de repasses nos preços devido ao câmbio.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que os resultados do programa "Olho vivo" vão inibir crimes nos locais onde estão as câmeras?