Publicidade

16 de Janeiro de 2014 - 13:05

Por Marcio Dolzan - Agencia Estado

Compartilhar
 

Uma comitiva de 70 pessoas composta por membros da Fifa e do Comitê Organizador Local (COL) está realizando nesta quinta-feira, no Maracanã, a última das quatro visitas operacionais em preparação para Copa do Mundo de 2014. A visitação às dependências do complexo onde fica o estádio que será palco da final do Mundial e de outros jogos da competição começaram pela manhã e se estendem até o fim do dia.

Chefe do departamento de operações da Copa de 2014, o norte-americano Chris Unger elogiou o Maracanã nesta quinta. "O ponto desta visita não é aprovar ou reprovar o estádio. Ele é maravilhoso", afirmou.

Motivo frequente de preocupação devido ao uso constante, o gramado do Maracanã é monitorado pela Fifa. Recentemente, surgiu a informação de que a entidade pediu à CBF que se limitasse o uso do estádio para até quatro jogos por mês - algo inviável no Rio, já que, além do estádio, apenas São Januário está autorizado a receber partidas desde a interdição do Engenhão.

Unger, porém, deixou claro que isso não irá acontecer e o Maracanã deverá ficar liberado para uso dos clubes, embora a tabela do Campeonato Carioca de 2014 projete que ao menos 17 jogos da fase de classificação do torneio aconteça no estádio, dentro de um período de nove semanas. E caso o Botafogo se junte ao Flamengo na fase de grupos da Libertadores - a equipe disputará o estágio preliminar da competição -, o estádio poderá receber até 31 partidas até o fim do Carioca, em 13 de abril.

"Nós temos um time de especialistas que atua junto ao pessoal que faz a manutenção dos gramados e faz as recomendações", explicou Unger. "É uma discussão contínua, porque temos o estádio e as equipes que dependem dele. Fizemos recomendações à CBF, mas isso depende dela. A Fifa só assume (o uso do estádio apenas para a entidade) três semanas antes do primeiro jogo da Copa", enfatizou, se referindo ao confronto entre Brasil e Croácia, em 12 de junho, no Itaquerão, em São Paulo.

Nos próximos dias, a comitiva visitará outras sedes da Copa. Segundo Tiago Paes, gerente geral de Integração Operacional do COL, o objetivo da visitação é providenciar ajustes, em especial de logística, em relação à Copa das Confederações. "É preciso melhorar alguns pontos, fazer algumas mudanças até pela grandeza do evento", destacou. "Nosso objetivo é finalizar os planos, checar as plantas, para a partir daí iniciarmos o treinamento de pessoal."

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que alertas em cardápios e panfletos de festas sobre os riscos de dirigir sob efeito de álcool contribuem para reduzir o consumo de bebidas por motoristas?