Publicidade

20 de Dezembro de 2013 - 15:44

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

Flagrado no exame antidoping, segundo anúncio feito pela União Ciclística Internacional (UCI) na última quarta-feira, o ciclista australiano Michael Rogers alegou inocência. Para justificar a presença da substância proibida clenbuterol em seu organismo, ele culpou a ingestão de comida contaminada na China.

Dono de uma medalha de bronze olímpica e três títulos mundiais da prova contra o relógio, Michael Rogers foi flagrado no exame antidoping realizado no dia 20 de outubro, durante a disputa de competição no Japão. Ele defende que o clenbuterol deveria estar em algum alimento contaminado que comeu um pouco antes na China.

"Gostaria de deixar bem claro, da maneira mais enfática possível, que nunca ingeri clenbuterol conscientemente ou deliberadamente", diz comunicado divulgado nesta sexta-feira pelo ciclista, que está suspenso preventivamente pela UCI. "Lembro que no período de 8 a 17 de outubro, antes de chegar ao Japão, estive na China (para competir). Sei que é do conhecimento da Agência Mundial Antidoping que comida contaminada com clenbuterol é um sério problema na China."

O clenbuterol é a mesma substância encontrada no exame antidoping do ciclista espanhol Alberto Contador durante a sua vitória na Volta da França de 2010, que lhe rendeu dois anos de suspensão e a perda do título. Ele chegou a ser companheiro de equipe de Michael Rogers e também alegou ingestão de comida contaminada para justificar o resultado positivo do seu teste.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você pretende substituir o ovo de Páscoa por outros produtos em função do preço?