Publicidade

10 de Dezembro de 2013 - 05:00

Por Marcelo Ribeiro Silva, com informações da Dow Jones Newswires e da Market News International - Agencia Estado

Compartilhar
 

O Fundo Monetário Internacional (FMI) pediu nesta segunda-feira que a Argentina revisasse as suas estatísticas de inflação e de crescimento econômico até o final de março do próximo ano, dando ao país mais tempo para melhorar os seus dados econômicos altamente questionados e considerados imprecisos.

Após uma reunião do Conselho Executivo do FMI nesta segunda-feira, o fundo afirmou em um comunicado que a Argentina planeja criar um novo índice de inflação e que "está trabalhando para resolver as deficiências em seus dados do produto interno bruto (PIB)."

"O FMI reconhece a importância das discussões em vigência com as autoridades argentinas para melhorar a qualidade dos dados do CPI e do PIB do país e está pronto para continuar este diálogo. Pretendemos fortalecer a relação entre a Argentina e o FMI", informou a instituição financeira.

Além disso, o FMI considerou que mesmo sem adotar as medidas preconizadas pelo fundo, a Argentina se esforçou para introduzir uma nova leitura do CPI nacional a partir do início de 2014. O Conselho do FMI ainda afirmou que notou que o governo argentino está trabalhando para

"Diante destes desenvolvimentos, o Conselho Executivo do FMI aprovou uma decisão invocando que a Argentina implemente ações específicas para lidar com a qualidade dos seus dados oficiais de inflação e de crescimento de acordo com um calendário definido. A Argentina tem até março de 2014 para fazer a divulgação de um novo CPI nacional e de novas estimativas do PIB. Outras ações devem ser implementadas até o final de setembro de 2014 e até fevereiro de 2015", comunicou o FMI.

Um porta-voz do Ministério da Economia argentino emitirá um comunicado ainda nesta segunda-feira.

Em fevereiro deste ano, a instituição financeira advertiu a Argentina por não conseguir melhorar as suas estatísticas econômicas. O FMI questionava a qualidade da metodologia utilizada e especulava sobre uma possível manipulação dos dados. A censura abriu a possibilidade de sancionar o país sul-americano se não melhorasse os seus dados de inflação e de crescimento econômico. As possíveis sanções incluíam a perda dos empréstimos, do direito de voto e até mesmo uma expulsão do FMI.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?