Publicidade

11 de Março de 2014 - 01:56

Por - Agencia Estado

Compartilhar
 

A França planeja propor uma resolução no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) exigindo que o regime do presidente sírio Bashar Assad permita a entrada de ajuda humanitária em áreas sitiadas de Homs, cidade da região central do país.

O ministro de Relações Exteriores francês, Laurent Fabius, disse a uma rádio local nesta segunda-feira que os esforços de líderes mundiais para intermediar um cessar-fogo nas proximidades do centro histórico de Homs - de onde milhares de pessoas estão impedidas de sair e passam fome - têm sido muito brandos e anunciou que a França está tomando medidas para apresentar um esboço de resolução com o apoio de outros países, dos quais não citou os nomes.

"Pedimos uma ação muito mais forte no campo humanitário e que as cidades sejam abertas para a entrega de remédios e alimentos", disse Fabius. "É absolutamente escandaloso que fiquemos falando por tanto tempo enquanto a população passa fome."

As medidas anunciadas por Paris se seguem a um final de semana no qual comboios humanitários na Síria foram alvo de ataques, prejudicando as medidas diplomáticas com o objetivo de manter as nascentes negociações entre regime e oposição.

O esboço de resolução francês deve elevar a pressão internacional sobre a Rússia, o mais poderoso aliado da Síria. Representantes do regime sírio e da oposição retomaram as negociações de paz em Genebra nesta segunda-feira. O alívio ao cerco a Homs é considerado como um passo fundamental para se chegar ao objetivo final das negociações, que é a transição política sem a participação do governo de Assad.

Parte da ajuda chegou à região e centenas de moradores foram retirados, mas houve problemas depois de o comboio ter sido alvo de disparos e morteiros. Os rebeldes culpam forças do regime pelo ataque, enquanto Damasco afirma que a responsabilidade é de grupos extremistas.

A trégua instável e volátil em Homs foi estendida por 72 para que mais ajuda humanitária seja entregue, disse um funcionário da ONU que está no local.

A Rússia vetou uma resolução do Conselho de Segurança contra o regime de Assad e desencorajou outros membros da organização a propor intervenções militares na Síria. Fabius não disse se o esboço de resolução vai citar o Capítulo VII, cláusula que permite ao Conselho de Segurança impor suas diretrizes por meio de ação militar.

Funcionários da ONU fizeram advertências contra a possível resolução, dizendo que a medida pode prejudicar a cooperação que funcionários humanitários receberam do regime em outras partes de Síria. Fonte: Dow Jones Newswires.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que campanha corpo-a-corpo ainda dá voto?