Publicidade

22 de Janeiro de 2014 - 19:03

Por Erich Decat - Agencia Estado

Compartilhar
 

Com a definição do substituto para a Casa Civil, a ministra Gleisi Hoffmann deve deixar o cargo no início de fevereiro e se dedicar aos preparativos da pré-campanha ao governo do Paraná. Para o lugar de Gleisi, a presidente Dilma indicou o atual ministro da Educação, Aloizio Mercadante, que ficará responsável por tocar os principais projetos do governo e realizar uma ponte do Executivo com os integrantes do Congresso. Logo no início do próximo mês, a ministra deve reassumir o mandato como senadora e passar a se dedicar ao debate das diretrizes que vão compor o programa eleitoral na disputa pelo governo do Paraná.

Em conversa com o

Além de Enio Verri, o vice-presidente da Câmara, André Vargas, também estará incumbido de negociar as alianças regionais que irão compor a chapa da ministra. Entre os partidos que já sinalizaram que irão fazer parte da coligação está o PCdoB e o PDT, que deve indicar na chapa para o senado o nome de Osmar Dias, atual vice-presidente de Agronegócios e Micro e Pequenas Empresas do Banco do Brasil.

Também integram a equipe de campanha da ministra os deputados federais Angelo Vanhoni e Zeca Dirceu. O primeiro foi indicado para coordenar a elaboração do programa partidário e o segundo irá articular a campanha com os prefeitos do Estado.

No encontro de sexta-feira, também deve ser batido o martelo quanto ao nome que ocupará a coordenação de Comunicação e Marketing de Gleisi. O mais cotado é o publicitário Oliveiros Marques, que vem acompanhando a ministra nos últimos anos e foi responsável pelas campanhas vitoriosas dos prefeitos Gustavo Fruet (Curitiba) e Luiz Marinho (São Bernardo do Campo).

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você está evitando contrair dívidas maiores em função da situação econômica do país?