Publicidade

17 de Dezembro de 2013 - 10:37

Por Gustavo Porto - Agencia Estado

Compartilhar
 

A GO associados estima que a taxa básica de juros (Selic) deve recuar para 9,5% no primeiro semestre de 2014, ante os atuais 10%, medida a ser adotada para estimular o crescimento do crédito, do Produto Interno Bruto (PIB) e da produção industrial no segundo semestre do ano. A projeção diverge das feitas pela maioria dos analistas de mercado, que apontam uma alta de até 0,50 ponto porcentual na Selic no começo de 2014, para até 10,50% ao ano, e uma estabilidade no indicador até o início de 2015.

Segundo a consultoria, 2014 será um ano com ambiente externo ruim para exportações e manutenção do nível de importados, o que levará o País a um déficit de US$ 3 bilhões nas transações comerciais. Com o fim do afrouxamento monetário nos Estados Unidos, o dólar deve seguir volátil no Brasil, ficando entre US$ 2,20 e US$ 2,45, valor que deve ser o teto suportado pelo Banco Central brasileiro para intervenções na tentativa de impedir altas maiores.

O cenário de inflação e de PIB brasileiro em 2014 deve seguir praticamente estável ante o deste ano. A GO Associados avalia que a inflação (IPCA) deve encerrar 2013 em 5,6% e ficar em 5,8% em 2014. Já o PIB, sustentado pelo consumo das famílias, algum avanço nos investimentos e ainda um melhor desempenho da indústria, deve crescer 2,5% em 2014, ante 2,2% este ano.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?