Publicidade

13 de Dezembro de 2013 - 16:25

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

Com o fim da temporada em 2013, os clubes do futebol brasileiro começam a fazer um balanço do que passaram durante o ano. No Palmeiras, a sensação de "dever cumprido" foi compartilhada por todos os jogadores, já que a equipe conseguiu o retorno à elite do Brasileirão com o título da Série B. O desempenho e a sentimento de alívio foram comemorados pelo zagueiro Henrique.

"No futebol as coisas acontecem muito rápido. Tivemos um momento de alegria no ano passado, que foi o título da Copa do Brasil, e, logo em seguida, o rebaixamento. Foi difícil assimilar. Passamos um fim de ano muito complicado, um dos piores da minha carreira. A nossa família sofreu muito também. Nós tivemos de carregar esse peso, essa obrigação de recolocar o time na elite o ano inteiro. Mas o nosso grupo se fechou, se uniu e, junto da comissão técnica, fizemos um elenco forte. Então, o sentimento é de dever cumprido", disse.

Henrique, no entanto, sabe que a exigência em um time como o Palmeiras não acaba e, por isso, mira novas conquistas para a próxima temporada, quando o clube comemora seu centenário e terá de volta o Palestra Itália, que segue em reforma. O jogador também segue sonhando com uma vaga na Copa do Mundo do Brasil e para isso planeja começar o ano em grande forma.

"No ano que vem, vamos voltar para nossa casa, para nosso cantinho, para nosso lar. Tem a ansiedade de fazer o primeiro jogo logo e de sentir a torcida, pois faz muita diferença para nós. Nosso objetivo é começar o ano do centenário com o pé direito. E tenho o objetivo também de participar da Copa do Mundo. Vou trabalhar forte aqui e ir atrás disso. Espero ser lembrado", comentou.

O zagueiro ainda ressaltou os pontos positivos do grupo comandado por Gilson Kleina em 2013. "No futebol você precisa ter um ambiente legal para trabalhar. Aí as coisas fluem, acontecem naturalmente. Em 2013, fortalecemos um grupo unido, passamos por dificuldades juntos e superamos muita coisa. Sobre o carinho da torcida, para mim é fundamental. Sinto-me em casa aqui. Sempre darei o meu máximo para dar alegrias ao torcedor palmeirense."

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você tem percebido impacto positivo das operações policiais nas ruas da cidade?