Publicidade

03 de Janeiro de 2014 - 08:07

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

Tradicional competição que abre o calendário do futebol brasileiro, a Copa São Paulo de Futebol Júnior começa nesta sexta-feira. Inchado, o torneio terá recorde de participantes e sedes. Ao todo, serão 104 clubes na disputa, alguns de quase nenhuma expressão no cenário nacional e até mesmo um convidado internacional (Kashiwa Reysol, do Japão).

A fórmula de disputa para a 45ª edição do torneio foi mantida. No ano passado, eram 100 participantes, mas agora são 104, divididos em 26 grupos, espalhados por cidades de todo Estado de São Paulo. Após três rodadas, o líder de cada chave avança à segunda fase, assim como os seis melhores segundos colocados. Com isso, 32 times entram no mata-mata.

Todos os Estados do Brasil terão representantes na competição, além do Kashiwa Reysol, que entra como convidada da principal patrocinadora da disputa. São Paulo lidera a lista com 45 clubes entre os participantes. E a luta de todos é para conquistar o título do mais tradicional torneio de base do futebol brasileiro, que costuma revelar vários talentos.

E no encerramento do primeiro dia de disputa, o São Paulo, tricampeão do torneio, irá duelar contra o convidado Kashiwa Reysol, a partir das 21 horas, em Barueri, pelo Grupo W. No sábado, são mais 10 jogos marcados, com destaque para a estreia de Palmeiras, Inter, Cruzeiro e Fluminense. Atual campeão, o Santos joga apenas no domingo, quando acontecem 36 partidas.

Maior campeão da história da Copa São Paulo - tem oito títulos em 15 finais já disputadas -, o Corinthians também faz sua estreia no domingo, quando encara o Remo em Limeira. E, assim como os outros 103 participantes desta 45ª edição, sonha chegar à decisão do campeonato marcada para o dia 25 de janeiro, dia do aniversário da capital paulista.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a multa para o consumidor que desperdiçar água, conforme anunciou o Governo de São Paulo?