Publicidade

11 de Março de 2014 - 07:00

Por Laís Alegretti e Murilo Rodrigues Alves - Agencia Estado

Compartilhar
 

A projeção de inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para 2014 subiu de 5,93% para 6,00%, de acordo com a pesquisa Focus divulgada nesta segunda-feira, 25, pelo Banco Central. Há quatro semanas, a estimativa estava em 6,02%. Para 2015, a projeção segue em 5,70%. Há quatro semanas, estava em 5,70%. A previsão de inflação para os próximos 12 meses subiu de 6,05% para 6,11%, conforme a projeção suavizada para o IPCA. Há quatro semanas, estava em 5,99%.

Nas estimativas do grupo dos analistas consultados que mais acertam as projeções, o chamado Top 5 da pesquisa Focus, a previsão para o IPCA em 2014 no cenário de médio prazo subiu de 5,86% para 5,89%. Para 2015, a previsão dos cinco analistas se manteve em 5,80%. Há um mês, o grupo apostava em altas de 6,20% para 2014 e 6,00% para 2015.

Entre todos os analistas ouvidos pelo BC, a mediana das estimativas para o IPCA em fevereiro caiu de 0,63% para 0,60%. Há quatro semanas, estava em 0,64%. Para março, a projeção subiu de 0,50% para 0,64%. Há quatro semanas, estava em 0,50%.

A previsão de crescimento da economia brasileira em 2014 caiu de 1,79% para 1,67% na pesquisa Focus do Banco Central. Para 2015, a estimativa de expansão também recuou, de 2,10% para 2,00%. Há quatro semanas, as projeções eram, respectivamente, de 1,91% e 2,20%.

A projeção para o crescimento do setor industrial em 2014 caiu de 1,93% para 1,87%. Para 2015, economistas preveem avanço industrial de 3,00%, ante 2,89% da pesquisa anterior. Quatro semanas antes, a Focus apontava estimativa de expansão de 2,20% para 2014 e de 2,95% em 2015 para o setor.

Os analistas reduziram a previsão para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB em 2014 de 34,80% para 34,70%. Há quatro semanas, estava em 34,80%. Para 2015, segue em 35,00% há dez semanas.

Os economistas consultados pelo Banco Central na pesquisa Focus mantiveram a previsão para a taxa Selic ao final de 2014 em 11,25%. Para 2015, a mediana seguiu em 12,00% ao ano. A taxa está hoje em 10,50% ao ano. A previsão para a taxa que será definida na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) de fevereiro, nesta semana, segue em 10,75% ao ano.

A previsão para a Selic média se manteve em 10,97% ao ano para 2014 e subiu de 11,79% para 11,80% para 2015. Há quatro semanas, estavam em 10,75% e 11,50% ao ano, respectivamente. Nas estimativas do grupo Top 5 a previsão para a Selic no fim de 2014 segue em 11,75% ao ano. Para 2015, segue em 12,25% ao ano.

A projeção para o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) em 2014 subiu de 5,89% para 5,96%. Para o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), que corrige a maioria dos contratos de aluguel, a expectativa passou de 5,88% para 5,92%. Quatro semanas atrás, o mercado previa altas de 5,90% para o IGP-DI e de 5,96% para o IGP-M.

Para 2015, a projeção para o IGP-DI segue em 5,50% há 13 semanas. Para o IGP-M, continua em 5,50% há seis semanas. A pesquisa também mostrou que a previsão para o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) em 2014 subiu de 5,72% para 5,78%. Há um mês, a expectativa dos analistas era de alta de 5,50% para o índice que mede a inflação ao consumidor em São Paulo. Para 2015, a projeção continuo em 4,85%. Há quatro semanas estava em 5,00%.

Economistas elevaram ainda a estimativa para o aumento do conjunto dos preços administrados - as tarifas públicas - para 2014 de 4,06% para 4,10%. Para 2015, a projeção se manteve em 5,00%. Há quatro semanas, as projeções eram de, respectivamente, 4,00% e 5,00%.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você está evitando contrair dívidas maiores em função da situação econômica do país?